o símbolo transgênero em azul com uma gota de sangue vermelha no meio do círculo

Ilustração: Marta Pucci

LGBTQIA+

Como é menstruar quando se é uma pessoa trans

*Tradução: Joana de Sousa

A menstruação não é apenas uma "coisa de mulher". O período menstrual pode ser doloroso - especialmente se você tiver disforia de gênero ou uma doença como SOP ou endometriose. Perguntamos a homens trans e pessoas queer e não-binárias como são seus sentimentos em relação à menstruação.

Imagem de três telas mostrando o aplicativo Clue

O Clue usa linguagem neutra de gênero para ajudar você a monitorar sua saúde menstrual

  • Baixe o Clue app na App Store
  • Baixe o Clue app na Play Store

4.8

Ilustração de uma avaliação cinco estrelas

mais de 2M+ avaliações

"Gosto de tudo no corpo em que nasci, exceto que ele tenha um órgão que sangra com tanta regularidade."

A minha menstruação dura cerca de uma semana, e em pelo menos três desses dias tenho cólicas debilitantes a tal ponto de ficar na cama, tremendo de calafrios e só querendo comer batata frita com sal e vinagre.

Quando chega a minha menstruação, a disforia aumenta e fica muito desagradável: não consigo ignorar o fato de que tenho uma vagina. Para mim, os aspectos emocionais da menstruação são tão reais e horríveis quanto os sintomas físicos.

Gosto de tudo no corpo em que nasci, exceto que ele tenha um órgão que sangra com tanta regularidade. Tenho sorte - não há mais nada no meu corpo que me faça sentir disforia. Sinto um agradecimento profundo por isso, três semanas em cada quatro. Eu odeio que a minha menstruação tão regularmente abale a ilusão de que o meu corpo tem um gênero neutro. Eu odeio que isso torne o meu gênero designado no nascimento imediatamente visível para quem prestar atenção em um calendário. Isso me faz sentir muito expost@ de uma maneira desagradável, mesmo quando ninguém comenta. —B, 24

"Eu tento esconder e fingir que não tenho nada"

A minha menstruação arruina completamente o meu humor e com frequência causa ideias suicidas, devido à maneira tão forte com que intensifica a minha disforia de gênero. Eu tento esconder e fingir que não tenho nada, e que nem sequer tenho um útero. É muito estressante porque muitas pessoas se recusam a me ver como o gênero que eu já sou. Se essas pessoas soubessem que eu menstruava, eu nunca conseguiria ganhar o seu respeito e reconhecimento.

Eu sinto disforia relacionada com os meus órgãos reprodutivos mais do que qualquer outra coisa, exceto o meu rosto. É o que mais me dói - física e emocionalmente - quando se trata do meu corpo.

Do que eu gosto em ser uma pessoa trans que menstrua? Quase nada. Eu gosto de fazer piadas sobre como remover o meu útero para experiencias. Mas não gosto de como minha menstruação me faz sentir e como faz com que a sociedade me veja. —Vin Tanner, @hologramvin, não-binári@, trans, lésbica, 20, Seattle, Estados Unidos

"Não gosto que as pessoas usem a menstruação como forma de definir a feminilidade"

No primeiro dia do meu período menstrual, preciso de me deitar o máximo possível, porque as cólicas são muito fortes. Às vezes, também tenho fortes dores de cabeça e dores nas costas. Sinto debilidade e apatia durante toda a semana.

Nem sempre tenho disforia de gênero relacionada com o meu ciclo menstrual. Dito isto, eu gostaria de arrancar completamente o meu útero, porque me lembra que ele existe, não apenas durante o período menstrual, mas também durante a ovulação. Além disso, eu também tenho quistos que me causam uma dor aguda.

Eu me pergunto se há alguém - independentemente do sexo – que goste de menstruar. Gosto de procurar tags de menstruação nas redes sociais para encontrar memes e outras pessoas que sentem o mesmo - uma sinfonia de pessoas reunidas reclamando dos sangramentos, cólicas, de dores, de mudanças de humor e chocolate, por algum motivo. Eu geralmente tenho desejo por sushi, ou algo que possa meter rápido na minha boca.

Não gosto que as pessoas usem a menstruação como forma de traçar uma linha para a feminilidade. Você sangra = / = você é uma mulher. Não funciona assim, mesmo se você é uma mulher cis ou o que quer que seja. Nem toda a mulher cis tem um período menstrual. Essa assunção falha ao teste de lógica mais básico. A minha tia teve os seus dois peitos removidos e acaba de remover o seu útero e os ovários, e tem medo de não ser mais uma mulher. Usar órgãos e partes do corpo ou qualquer medida arbitrária para definir alguém magoa qualquer pessoa. —Fallon, não-binári@, bi até aos infernos, [Fallon pediu para adicionar-mos: engraçad@ e charmos@] 27

“Posso ter filhos! Uau!"

A minha menstruação dificulta as atividades diárias. Facilmente, tudo se torna avassalador. Fico com TPM grave e piora muito a minha disforia de gênero. O que eu mais gosto em ser uma pessoa trans não binária que tem a menstruação? Eu posso ter filhos! Uau! O que eu não gosto é basicamente não conseguir usar um binder para esconder o peito porque ele fica demasiado sensível e também as mudanças de humor. A menstruação em si está bem. —Anônimo, não binári@, trans, queer, 19 anos, Riyadh, Arábia Saudita

"A menstruação é um lembrete de que o meu corpo nunca será do jeito que eu quero"

A minha menstruação não afeta muito as minhas atividades diárias, mas tenho dores e nesses dias tenho que fazer muito esforço. Fico com disforia durante o período menstrual e, além disso, tenho que usar roupas íntimas "femininas" para poder usar absorventes o que apenas aumenta a minha disforia. (A simples ideia de usar um absorvente interno me deixa disfóric@.) Gosto da solidariedade emocional que recebo de outras pessoas trans que menstruam. No entanto, há uma coisa que não gosto em menstruar: não tenho pênis. Tenho a capacidade de ter um filho, uma experiência que me faria sentir horrível e enquanto isso, as mulheres trans não podem fazer isso mesmo que o desejem. A menstruação é um lembrete de que meu corpo nunca será do jeito que eu quero que seja, e eu apenas tenho que viver com isso. —Noam, não binári@, trans, 16 anos, Paris, França

"É um lembrete das decisões incontroláveis que o meu corpo toma sem a minha aprovação"

Quando estou menstruando, sinto que não posso fazer NADA. Eu costumava usar T [testosterona] para o interromper. É um lembrete das decisões incontroláveis que meu corpo toma sem minha aprovação.

Não há absolutamente nada que eu goste em que me chegue a menstruação. Eu particularmente não gosto da ideia de que isso continue acontecendo comigo a maior parte da minha vida, a menos que eu tome medidas ativas para o impedir. —Anônimo, não binári@, lésbica, 22 anos, Washington DC, EUA

"Devido à disforia, geralmente digo que estou doente quando estou com a menstruação"

Quando eu estava na escola, eu voltava para casa com febre toda vez que minha menstruação começava. Mesmo antes de perceber que era trans, não gostava de menstruar - principalmente devido às cólicas debilitantes. Agora, o que menos gosto é a disforia inferior e a maneira como a menstruação é descrita como uma "coisa das mulheres", apesar de muitas pessoas que não são mulheres passarem por isso (e muitas mulheres não).

Devido à disforia, geralmente digo que estou doente quando estou com a menstruação. Eu me preocupo que isto contribua para o estigma de não se falar sobre o período menstrual em público, mas ao mesmo tempo as pessoas trans enfrentam demasiado escrutínio e invasão de privacidade sobre os nossos órgãos genitais. Chamar isso de “estar doente” alivia a minha disforia e evita perguntas intrometidas. —Anônimo, não binári@, trans, bissexual, 22 anos, Fort Worth, EUA

"Sinto medo de falar sobre isso, menos com os amigos próximos"

Eu me sinto estranh@ transportando absorventes. Só de pensar na menstruação faz com que minha disforia aumente. Eu realmente só sinto a disforia inferior quando estou menstruando por causa da dor constante na zona pélvica. Isso acaba por tornar o meu peito mais sensível, o que torna o uso do binder mais complicado.

Não há nada que eu goste em ter um período menstrual. Sem menstruar, eu não sentiria dor, a confusão de ter sangue, [a necessidade de comprar] produtos menstruais ou preocupações com anticoncepcionais. Se eu não tivesse menstruação, não teria tanta disforia. Acho que a pior parte é que sinto medo de falar sobre isso com alguém que não seja um amigo muito próximo. Se eu discuto meus sintomas on-line, eu sinto que muitas pessoas me vão atribuir um gênero errado na sua cabeça.

Acho muito mais fácil lidar com a disforia relacionada com a menstruação quando posso prever quando é provável que eu sangre. Ter um aplicativo de rastreamento de período menstrual sem gênero faz com que seja mais fácil passar por essa privação. —Anônimo, agéner@, trans, bissexual, 19 anos, Waterloo, Canadá

"Quem vai lavar um copo menstrual na pia do banheiro masculino?"

A minha menstruação afeta-me bastante, principalmente quando é abundante ou quando tenho cólicas fortes. Isso pode deixar-me com mau humor, irritável, pálido e com desejos de comer chocolate, etc. Sem mencionar que eu posso estar a trabalhar em algum lugar em que não tenho acesso imediato a um banheiro, uma pia, uma balde do lixo, etc. E para além disso, é muito raro encontrar caixas sanitárias nos banheiros masculinos. E também, quem vai lavar um copo menstrual na pia do banheiro masculino? Ninguém.

Eu tenho disforia em diferentes fases do meu ciclo menstrual. Quando estou ovulando, o meu muco pode ser jogado pela sala como uma teia do Homem Aranha, o que, infelizmente, não é tão legal ou útil quanto pode parecer. Qualquer ponto em que eu sinta umidade em baixo já me causa disforia, mas  a semana da menstruação é a pior coisa, pois é um lembrete óbvio e muito visual de que "você não é como a maioria dos outros homens" - que você é incapacitado, bagunçado e complicado. 

Eu ainda tenho pesadelos de quando eu tinha que usar absorventes na escola. Nessa altura, as crianças comentavam sobre ouvirem o barulho da embalagem, então eles sabiam que você estava com a menstruação. Lembro-me de deixar pequenas manchas vermelhas nos assentos quando vazava na sala de aula e também da falta de higiene nos banheiros das escolas, o que significa que você não tinha sabão nem caixas sanitárias, nem ajuda em caso de um acidentes. Os absorventes internos eram um mal necessário e eu me forcei a usá-los, apesar de odiar a sensação, o processo e a confusão. E nem me fale de absorvente interno com aplicador – esses eram o diabo. Pelo menos, ao usar as minhas mãos, sentia que era um trabalho do homem.

Eu suponho que pelo menos posso simpatizar com as mulheres quando surge a conversa sobre menstruação. Não gosto de quase nada relacionado com a menstruação. Sempre achei traumático lembrar que tenho um corpo feminino que sangra todos os meses. Eu me sentia como em um filme de terror, cheguei a pensar que não tinha a menstruação, que foi tudo um engano até que finalmente passou. Particularmente, eu não gosto da sensação de quando estou em um dia forte, quando saem grandes gotas de sangue. Vê-las com aparência muito fresca a sair de dentro de você tem um grande impacto. —Anônimo, a questionar / explorar ser homem, trans, queer, 42 anos, Londres, Inglaterra

"A minha disforia fica mais grave durante a ovulação"

Percebi que minha disforia fica mais grave durante a ovulação. Às vezes, quando menstruo, a disforia também piora, mas nem sempre. Eu não gosto de quase nada relacionado com a menstruação e quero remover o meu útero cirurgicamente. —Aya, não-binári@, demigirl agéner@ (às vezes eu flutuo mais para gêneros de masculinos), trans, lésbica, 20 anos, Netanya, Israel

 “Não gosto de sentir que não posso ser um homem de verdade, apesar de saber que não é assim"

Ultimamente, a minha menstruação afeta-me muito. Então, tenho maior disforia, porque me sinto obrigado a usar o banheiro feminino, mesmo que queira usar o masculino. Eu realmente não tenho uma saída para minha disforia, então ela acaba sendo internalizada, tenho que lidar com isso.

Eu não vejo nada positivo em menstruar até porque não pretendo ter meus próprios filhos, e por isso a minha menstruação não me traz nada além de dor e disforia. Também não gosto de sentir que não posso ser um homem de verdade por causa da menstruação, apesar de saber que não é assim. —David Barrett, não-binário, trans masculino, pansexual, 18 anos, Akron, Ohio, EUA

An illustration of a hand pressing a button

Let's support one another.

and champion menstrual health together. Make an impact today in one click.

An illustration of a hand pressing a button

Você também pode gostar de ler:

Artigos mais populares