Ilustrações por Marta Pucci

Produtos

Coletores menstruais: tudo que você precisa saber para começar

por Mariana Rezende, Colaboradora Revisado por Giordana Braga
  • Compartilhar este artigo no Twitter
  • Compartilhar este artigo no Facebook
  • Compartilhar este artigo pelo WhatsApp

Os coletores ou "copinhos" menstruais já não são uma grande novidade, mas ainda há muito que se aprender sobre eles, suas origens e formatos mais adequados para cada pessoa. Primeiro, lembremos que nossos corpos são anatomicamente diferentes, cada fluxo menstrual pode variar de pessoa para pessoa.

Um dos benefícios dos copinhos é a manutenção de fluidos benéficos dentro da sua vagina. Os absorventes internos costumam “sugar" os fluidos vaginais saudáveis como bactérias, hidratação e lubrificantes naturais (1). Diferente desses absorventes, os coletores menstruais não alteram a flora vaginal normal e mantém esses fluidos dentro da vagina. O utros benefícios são permitir que você tenha um período alargado uso (até 12 horas!), e a possibilidade de você ter a noção real do seu fluxo menstrual. Além disso, os copinhos são melhores para o meio ambiente e para seu bolso a longo prazo.

Um coletor menstrual é uma estrutura feita de silicone em forma de taça e tem cerca de 7 cm de altura e 4 cm de diâmetro. O coletor deve ser inserido no canal vaginal e encaixado no colo do útero para coletar o sangue menstrual durante a menstruação (2). Os coletores podem ser usados de forma contínua por até 12 horas seguidas. Depois que o copo for retirado do corpo, o sangue pode ser despejado na privada ou chuveiro, mas também existem relatos de mulheres que o utilizam para regar plantas ou criar obras de arte (3).

Copinhos ontem - e hoje

O primeiro coletor data de 1937 e quem o inventou foi a atriz norte-americana Leona W. Chalmers. Apesar da existência de outros objetos com usos similares na mesma época, Chalmers foi a primeira a patenteá-lo. O primeiro modelo, feito de borracha, não teve grande popularidade na época. Com a iminência da Segunda Guerra Mundial e escassez dessa matéria-prima, a inventora passa a explorar a borracha vulcânica, um material ligeiramente mais macio, para a construção dos copinhos. Ainda em 1937, Leona Chalmers também publicou o livro The Intimate Side of a Woman's Life (O Lado Íntimo da Vida da Mulher) sobre a importância e formas de uso dos coletores.

Por que será que os copinhos só recentemente passaram a ter mais popularidade se foram inventados há mais de 80 anos? Acredita-se que o tabu menstrual (4) desempenha um grande papel nisso, porque durante séculos as mulheres mantiveram as conversas sobre esse assunto por debaixo dos panos. O feminismo contemporâneo pode ser uma das razões de uma maior curiosidade das mulheres atualmente aos copinhos menstruais, por estimular o debate sobre a menstruação e o questionamento de determinados tabus, sobretudo na relação de nossos próprios corpos e o sangue menstrual.

Em 2014, o vídeo "Vai de copinho" da jornalista e youtuber Julia Tolezano, vulgo JoutJout, torna-se viral (5). Ela explica de forma didática a importância do copinho e as formas de usá-lo. Como a própria JoutJout diz, "vamos destabulizar":

Na internet, os grupos do Facebook também são território fértil para que as pessoas possam aprender melhor sobre os próprios ciclos, tipos e marcas de copinhos. Um dos maiores grupos sobre o tema é o Coletores Brasil - menstrual cups, onde você pode ler muito sobre marcas, preços, formatos, como medir o tamanho do seu colo do útero, como colocar o copinho, uso com o DIU, até a higienização e acondicionamento.

Como saber o formato de copinho certo para você?

Existem alguns fatores essenciais para saber qual é o copinho ideal: medir o comprimento do canal vaginal, saber qual é o volume do fluxo menstrual, conhecer a musculatura pélvica e ser virgem ou principiante.

A primeira etapa de todo o processo com os coletores é medir o comprimento do seu canal vaginal durante a menstruação. Para isso, você vai precisar higienizar suas mãos, encontrar uma posição confortável e inserir cuidadosamente seu dedo médio no canal vaginal até sentir o colo do útero. Quando retirar o dedo verá a marca do sangue nas articulações e assim poderá saber se o colo do útero é baixo, médio ou alto. Também é importante fazer durante a menstruação porque nessa altura do mês o colo do útero costuma estar mais baixo, o que influencia diretamente na escolha do coletor certo.

Use os dedos para medir o colo de seu útero. É simples:

Colores menstruales inside contenful

Higienização

É imprescindível a limpeza do copinho e de suas mãos antes e depois do uso. A água fervente é das formas mais simples de higienizar os coletores, mas é preciso ter muito cuidado no manuseio de água quente em qualquer tipo de recipiente. Entre as dicas no Facebook, discute-se muito como usar uma panela específica para ferver o copinho no fogão, usar um recipiente com água e o copinho no microondas, pastilhas específicas de limpeza e até uma solução com hipoclorito de sódio. Pesquise com atenção e tenha cuidado antes de partir para qualquer solução indicada.

É importante ressaltar, segundo a Dra. Cristina Sá Oliveira Maron em entrevista para o iSaúde Bahia (6), que o coletor deve ser lavado sempre com água e sabão neutro a cada retirada e reintrodução vaginal num mesmo ciclo menstrual e sempre ser fervido no fim, para ser guardado em recipiente limpo e longe da exposição ao sol.

Uma dica valiosa é esterilizar um frasco de vidro (daqueles usados para conservas, ou comprar um novo em casas especializadas), colocar o frasco com o copinho e água no microondas e deixar durante 5 minutos. Se quiser, pode colocar uma colherinha de bicarbonato de sódio para ajudar a clarear o copinho que estiver mais manchado. Você, inclusive, pode usar o frasco para guardar o copinho enquanto não estiver em uso. Lembre-se de secar bem o copinho e o frasco.

Vazamento

Não é incomum para as pessoas que usam coletores terem algumas dificuldades no ajuste e encaixe e, consequentemente, algum vazamento, sobretudo quem tem um fluxo menstrual mais intenso. Para evitar que isso aconteça, é importante aprender como inserir corretamente o copinho para que ele fique bem encaixado no colo do útero. É importante observar que as pessoas com o útero retrovertido precisam encontrar a posição correta para que o vácuo aconteça – normalmente a posição de inserção mais indicada é horizontal. Abaixo, um vídeo ilustrativo:

Ainda sobre os grupos online: a tese de mestrado "Redes sociais e ecofeminismo: ferramentas de uma educação ambiental transformadora", de autoria de Bárbara Kuhn (7), ressalta como o Facebook pode funcionar como um espaço de troca de experiências, educação ambiental e empoderamento. Segundo a autora, apesar das limitações do uso da internet, também é possível a transmissão de conhecimentos para além da tela, com famílias, colegas de trabalho e comunidade como um todo.

Conhecer seu corpo é fundamental

Os coletores também cumprem um papel essencial para o autoconhecimento e para a quebra do estigma menstrual. Se quiser começar a usá-los, você vai precisar entrar em contato com a própria vagina e ter uma noção melhor de como funciona a sua anatomia e seu fluxo menstrual, afinal o tamanho e formato do copinho escolhido depende diretamente do formato do seu próprio corpo e da intensidade do seu ciclo.

Baixe o Clue hoje e comece a adicionar detalhes diários de sua menstruação. Assim, você acompanha melhor o que acontece com seu corpo e se conhece melhor.

*O Clue preza pela neutralidade de gênero: falamos de menstruação a partir de um esforço inclusivo - leia e saiba mais.

An illustration of a heart

Gostou dessa leitura? Ajude-nos a criar ainda mais conteúdo: contribua com nossa pesquisa científica. Donate now

Você também pode gostar de ler:

Artigos mais populares