Ilustração: Marta Pucci

Contraceptivos

Os contraceptivos ajudam ou pioram a TPM e o TDPM?

por Liisa Hantsoo, Science Writer Revisado por Laurie Ray, DNP, Science Writer at Clue
  • Compartilhar este artigo no Twitter
  • Compartilhar este artigo no Facebook
  • Compartilhar este artigo pelo WhatsApp

*Tradução: Mariana Rezende

Coisas importantes a saber:

  • Acredita-se que os sintomas de humor (irritabilidade, mau humor, ansiedade) em pessoas com TPM (tensão pré-menstrual) e TDPM (transtorno disfórico pré-menstrual) sejam causados por alterações nos níveis hormonais

  • Algumas pessoas sentem que os contraceptivos hormonais ajudam o humor a melhorar, outras acham que ajudam a piorar

  • Yaz é o único anticoncepcional hormonal aprovado pela FDA especificamente para prevenir a gravidez e tratar a TPM e o TDPM

A diferença entre TPM e TDPM

Tanto na TPM (tensão pré-menstrual) quanto no TDPM (transtorno disfórico pré-menstrual), as pessoas experimentam mudanças no humor e/ou no corpo na fase lútea (pré-menstrual) do ciclo menstrual, ou seja, nos dias que antecedem a menstruação (1). Os sintomas desaparecem quando a menstruação desce. As pessoas com TPM têm sintomas mais leves e menos frequentes e aquelas com TDPM apresentam sintomas intensos que impactam suas atividades cotidianas. Pensa-se que os sintomas do humor – como irritabilidade, mau humor ou ansiedade – se devam à alteração dos níveis hormonais na fase lútea do ciclo menstrual, o período depois da ovulação e antes do início da menstruação (2).

As flutuações hormonais podem afetar o humor

Pessoas que foram diagnosticadas com TPM ou TDPM parecem ser sensíveis a flutuações de hormônios como progesterona e estrogênio, produzidos pelos ovários e também presentes na forma sintética dos anticoncepcionais hormonais (2, 3).

Esses hormônios ovarianos são chamados de “esteróides neuroativos” porque afetam o cérebro e, portanto, podem afetar o humor (4, 5).

Ausência de ovulação = ausência de sintomas cíclicas de humor

Pessoas com TDPM apresentam alterações de humor durante os ciclos menstruais normais, mas durante um ciclo anovulatório (quando a ovulação não acontece) os níveis de hormônios não flutuam e os sintomas de TDPM desaparecem (3).

Esses hormônios ovarianos são chamados de “esteróides neuroativos” porque afetam o cérebro e, portanto, podem afetar o humor (4, 5).

A maioria dos anticoncepcionais hormonais previnem ovulação

Pílulas anticoncepcionais hormonais previnem a ovulação, então em teoria elas podem melhorar os sintomas de TPM e TDPM ao previnir mudanças hormonais relativas à ovulação.

Pílulas de açúcar podem causar uma queda brusca de —o que pode significar uma queda do humor

Muitas pessoas que tomam a pílula tem uma intervalo livre de uma semana (a semana das pílulas de açúcar). Isso causa uma queda abruta dos hormônios das pílulas ativas. Pessoas sensíveis a essas flutuações repentinas dos níveis de hormônios podem sentir piorar dos sintomas durante a semana das pílulas de açúcar (placebo).  

Os contraceptivos hormonais podem afetar o humor

Algumas pessoas relatam alívio dos sintomas de humor quando tomam contraceptivos hormonais, mas outras relatam que os contraceptivos hormonais pioram seus sintomas (6). Na realidade, os efeitos colaterais no humor às vezes são citados como um dos motivos que fazem as pessoas deixarem de usá-lo (7, 8).

Em um estudo, 16,3% das mulheres relataram que a pílula anticoncepcional piorou o humor pré-menstrual, em comparação com 12,3% das mulheres que disseram que a pílula melhorou o humor (9).

Um estudo de 2016 virou notícia ao relatar que o uso de contraceptivos hormonais está associado à depressão (10). O estudo utilizou dados de prontuários médicos de pacientes e descobriu que as mulheres que usavam contraceptivos hormonais eram mais propensas a usarem antidepressivos ou tinham um diagnóstico de depressão registrado em seus prontuários. No entanto, por se tratar de um estudo correlacional baseado em dados de prontuários médicos, ele não estabelece que os contraceptivos tenham necessariamente ocasionado o uso de antidepressivos ou o diagnóstico de depressão.

Outro estudo realizado com mulheres com TPM grave constatou que as mulheres que usavam contraceptivos hormonais apresentavam depressão, raiva e irritabilidade pré-menstruais menos intensas em comparação com aquelas que não usavam contraceptivos hormonais (11).

Qual pílula anticoncepcional é melhor para quem tem TPM ou TDPM?

Veja como os diferentes tipos de contracepção hormonal afetam o humor de pessoas com TPM ou TDPM.

Como o Yaz afeta as pessoas com TPM e TDPM

Yaz é único anticoncepcional hormonal aprovado pela FDA para tratar o TDPM. O Yaz segue um esquema de dosagem de 24/4, ou seja, 24 pílulas hormonais ativas e 4 "pílulas placebo" sem hormônios. O Yaz é monofásico, o que significa que a dose do hormônio permanece a mesma durante os 24 dias de pílulas ativas.

Veja o que as pesquisas dizem sobre o Yaz e o humor:

  • O Yaz funcionou melhor que um placebo na melhora dos sintomas de humor com TDPM (12). Em mulheres com TDPM, o Yaz reduziu emoções negativas pré-menstruais e os desejos alimentares (13, 14).

  • O Yaz melhorou os sintomas pré-menstruais que afetam o trabalho, os relacionamentos e as atividades sociais em mulheres com TDPM, em comparação com um placebo (15).

  • Uma revisão dos estudos com o Yaz descobriu que, embora o Yaz tenha reduzido os sintomas pré-menstruais em mulheres com TDPM, um grande número de mulheres que tomaram uma pílula placebo também relatou uma melhora em seus sintomas (16).

  • De todos os métodos de contracepção hormonal, o Yaz tem mais evidências que apoiam seu uso para melhorar os sintomas de TPM/TDPM.

Uma mão segurando um celular com o Clue app aberto

Baixe o Clue agora para configurar seus lembretes de tomar a pílula.

Ilustração de uma avaliação cinco estrelas

4.8

mais de 2M+ avaliações

Ilustração de uma avaliação cinco estrelas

4.8

mais de 2M+ avaliações

Como as pílulas monofásicas e trifásicas de funcionamento 21/7 (Ortho-Cept, Nordette, Yasmin, Ocella) afetam pessoas com TPM e TDPM

Muitas pílulas monofásicas (em que os níveis hormonais permanecem os mesmos durante todo o ciclo) são usadas em um esquema de 21 a 7 dias – 21 dias de pílulas hormonais, seguidos por 7 dias de pílulas placebo.

Veja o que as pesquisas dizem sobre as pílulas 21/7 e o humor:

  • Vários estudos abertos (as pessoas participantes sabiam que estavam recebendo Yasmin e não um placebo) descobriram que o Yasmin era eficaz para sintomas mais leves da TPM (17, 18).

  • As mulheres que tomaram Yasmin por três meses tiveram uma melhora significativa nos sintomas da TPM em comparação com o cálcio (que melhorou ligeiramente os sintomas) e as pílulas placebo (que melhoraram muito pouco os sintomas) (19).

  • Para mulheres com TDPM mais grave, o Yasmin proporcionou uma melhora maior nas alterações de humor, raiva, irritabilidade, sensibilidade, choro, ansiedade e humor depressivo do que uma pílula placebo (20). Ao mesmo tempo, 43% das mulheres deste estudo que tomaram uma pílula placebo também apresentaram melhora dos sintomas.

  • Um estudo em mulheres com TPM comparou monofásico (Ortho-Cept, Levlen) e uma pílula trifásica (Trivora), constatando que o monofásico Ortho-Cept diminuiu significativamente os sintomas de tensão e irritabilidade em comparação com o Levlen ou o Trivora (21).

Entre as pílulas 21/7, a pesquisa sugere que o Yasmin pode melhorar os sintomas da TPM/TDPM.

Como as pílulas de ciclo prolongado (Ametista, Lybrel, Seasonique, LoSeasonique) afetam as pessoas com TPM ou TDPM

Com os anticoncepcionais orais de ciclo prolongado, como Amethyst ou Lybrel, as pílulas hormonais ativas são tomadas diariamente, com um intervalo livre de hormônios (e, portanto, um sangramento de retirada) somente de uma a quatro vezes por ano.

Aqui está o que a pesquisa diz sobre pílulas anticoncepcionais e humor de ciclo prolongado:

  • Uma revisão de quatro estudos com Amethyst/Lybrel, realizados continuamente por pelo menos três meses, sugere que contraceptivos orais de ciclo prolongado desse tipo podem reduzir os sintomas de TDPM e TPM (22).

  • Mulheres com TDPM que tomaram esse tipo de pílula por quatro ciclos (quatro embalagens de 28 dias, sem intervalo livre de hormônios) tiveram uma melhora nos sintomas depressivos pré-menstruais, raiva, irritabilidade e sintomas físicos (como dores de cabeça, sensibilidade nos seios, inchaço e dor nas articulações) em comparação com as mulheres do mesmo estudo que tomaram um placebo (23).

Embora sejam necessárias mais pesquisas, os estudos existentes sugerem que as pílulas de ciclo prolongado podem ser eficazes na redução dos sintomas de TPM/TDPM.

O que causa alterações de humor: os hormônios nos contraceptivos ou o tempo que as pílulas de placebo são tomadas?

É difícil diferenciar os efeitos dos diferentes hormônios em comparação ao período em que as pílulas placebo são tomadas.

Um estudo explorou o papel do intervalo livre de hormônios nas alterações pré-menstruais do humor, mantendo os tipos e quantidades de hormônios constantes e variando o tempo sem os hormônios l (24).

Os pesquisadores testaram o Yaz em um esquema 21/7 ou em um esquema contínuo (sem interrupção livre de hormônios) em comparação com uma pílula placebo. Eles não encontraram diferença no efeito sobre os sintomas de humor entre as diferentes opções.

Isso mostra que os benefícios dos contraceptivos hormonais sobre o humor na TPM ou no TDPM são complexos e podem variar consideravelmente de uma pessoa para outra.

Como o DIU hormonal (Mirena) afeta as pessoas com TPM ou TDPM

Os dispositivos intrauterinos (DIUs) hormonais funcionam liberando uma progestina no útero, impedindo a fertilização. No entanto, a ovulação ainda pode acontecer.

Existem muito poucos estudos sobre o impacto do DIU hormonal nos sintomas pré-menstruais do humor, e nenhum examinou o uso de DIU hormonal especificamente em mulheres com TPM/TDPM. Mais pesquisa se faz necessária.

Veja o que as pesquisas dizem sobre o DIU Mirena e o humor:

  • Também existem relatos de mulheres que descontinuaram o DIU de levonorgestrel por causa dos efeitos colaterais relacionados ao humor (25)

  • Estudos geralmente não sugerem associações entre o DIU de levonorgestrel e a depressão em mulheres saudáveis (26).

  • Em um estudo, as mulheres que usaram o DIU de levonorgestrel mostraram ser mais responsivas fisicamente ao estresse, em comparação com as pessoas que tomam pílulas anticoncepcionais ou não tomam contraceptivos hormonais (27). Isso não significa que elas acharam as coisas mais estressantes ou tiveram uma experiência maior de estresse. Embora o estudo não tenha se concentrado em mulheres com TPM/TDPM, isso sugere que o DIU hormonal pode tornar as mulheres mais fisiologicamente responsivas ao estresse, tanto no momento quanto no longo prazo.

São necessários estudos controlados por placebo sobre o impacto hormonal do DIU no humor, principalmente em mulheres com TPM/TDPM.

Como a injeção contraceptiva (Depo-Provera) afeta pessoas com TPM ou TDPM

Depo Provera é uma injeção administrada a cada três meses, que impede a ovulação e engrossa o muco cervical para evitar a gravidez.

Veja o que as pesquisas dizem sobre o Devo-Provera e o humor:

  • Houve relatos variados de piora do humor ou permanecem inalterados com o Depo-Provera, mas esses estudos não se concentraram especificamente em mulheres com TPM/TDPM (28, 29).

  • Os contraceptivos à base de somente progestágenos (tiro Depo-Provera, DIU Mirena) tem sido associado a um risco aumentado de depressão na imprensa, mas a pesquisa não mostra uma ligação clara entre métodos somente de progestógeno e sintomas depressivos em mulheres saudáveis (26).

  • Não houve estudos sobre como a injeção de Depo afeta os sintomas de humor pré-menstrual em pessoas com TPM/TDPM. Mais pesquisa se faz necessária.

Como o adesivo (Ortho Evra, Xulane) afeta o humor em pessoas com TPM ou TDPM

O adesivo contraceptivo libera hormônios pela pele por três semanas, seguido por uma semana sem hormônios, na qual ocorre um sangramento de retirada. Os hormônios sintéticos no adesivo impedem a ovulação.

Veja o que as pesquisas dizem sobre o adesivo e o humor:

  • Mulheres adolescentes relataram melhora dos sintomas de humor pré-menstrual com o uso de adesivo, mas este estudo foi aberto, o que significa que as participantes sabiam que estavam recebendo um adesivo ativo e não um placebo (30).

  • Não há estudos sobre o adesivo e os sintomas de humor especificamente em mulheres com TPM/TDPM.

Não existem estudos sobre como o adesivo anticoncepcional afeta os sintomas pré-menstruais do humor em pessoas com TPM/TDPM. Mais pesquisa se faz necessária.

Como o anel (NuvaRing) afeta o humor em pessoas com TPM ou TDPM

O NuvaRing é um anel vaginal hormonal que é inserido por três semanas e removido por uma semana, para impedir a ovulação e a gravidez.

Veja o que as pesquisas dizem sobre o anel e o humor:

  • Em um estudo, as mulheres que estavam iniciando o uso do anel experimentaram uma redução nos sintomas da TPM, mas não apresentavam TPM grave ou diagnosticada (31).

  • Não há estudos específicos sobre o efeito do anel vaginal contraceptivo nos sintomas pré-menstruais em mulheres com TPM ou TDPM.

Não existem estudos suficientes para determinar como o anel afeta o humor em mulheres com TPM ou TDPM. Mais pesquisa se faz necessária.

Uma mão segurando um celular com o Clue app aberto

Use o Clue app para monitorar e acompanhar seus métodos contraceptivos

Ilustração de uma avaliação cinco estrelas

4.8

mais de 2M+ avaliações

Ilustração de uma avaliação cinco estrelas

4.8

mais de 2M+ avaliações

O que fazer se você tiver TPM ou TDPM e estiver considerando usar contraceptivos hormonais

1. Comunique-se com seu(ua) médico(a)

Avise seu(a) médico(a) que você tem sintomas de TPM ou TDPM. Um registro de seus sintomas pode ser útil, como por exemplo, o monitoramento com o Clue app.

O único método contraceptivo hormonal aprovado pela FDA especificamente para prevenir a gravidez e tratar a TPM ou o TDPM é o Yaz. Isso significa que um(a) médico(a) deve receitar essa pílula (no caso dos EUA).

2. Se os sintomas piorarem, avise seu(ua) médico(a)

As evidências sugerem que as pílulas trifásicas (Ortho Tri-Cyclen, Tri Sprintec) ou bifásicas (Mircette, Azurette) podem ter maior probabilidade de afetar os sintomas de humor do que as pílulas monofásicas (Ortho Cyclen, Sprintec). Isto acontece por causa das flutuações hormonais que ocorrem com as fórmulas tri e bifásicas.

Se você tentar o uso de uma pílula trifásica ou bifásica e perceber, após vários ciclos, que seus sintomas pré-menstruais estão piorando, informe seu(ua) médico(a).

3. Monitore seus sintomas diariamente

Se você tem PMS ou TDPM, profissionais recomendam acompanhar seus sintomas diariamente usando uma ferramenta como o Registro diário de gravidade dos problemas (DRSP) (32, 33).

O monitoramento de sintomas é especialmente importante quando você está iniciando ou interrompendo o uso de um novo medicamento.

O monitoramento proporciona a você e seu(ua) médico(a) dados claros sobre os padrões de seus sintomas. Talvez você comece a tomar a pílula e, nos dois ciclos menstruais seguintes, monitore uma piora significativa das alterações de humor. É importante que você e seu(ua) médico(a) tenham conhecimento disso.

4. Esteja ciente das interações com outros medicamentos

As opções de tratamento também podem ser influenciadas por outros medicamentos que você está tomando ou por seu histórico de saúde mental. Os antidepressivos para gerenciar os sintomas da TPM ou do TDPM podem influenciar o que o seu(ua) médico(a) prescreve.

Se você já teve uma depressão séria no passado (tendo TPM ou TPMD ou não), pode estar em maior risco de alterações de humor induzidas pelos contraceptivos (9).

5. Procure ajuda se tiver pensamentos de auto-mutilação ou suicídio

Se você tiver sintomas graves, como ideação suicida ou pensamentos de auto-mutilação ao iniciar ou interromper um método contraceptivo hormonal, informe imediatamente seu(ua) médico(a).

Lembre-se, todos os corpos são diferentes

Há relativamente pouca pesquisa de alta qualidade sobre como os contraceptivos hormonais afetam os sintomas de humor pré-menstrual em mulheres com TPM ou TDPM.

Algumas pessoas podem ser mais sensíveis a medicamentos hormonais ou flutuações hormonais do que outras. Embora os estudos tenham encontrado um resultado específico, isso não significa que ele refletirá sua própria experiência. É por isso que é importante rastrear seus sintomas e manter uma comunicação regular com seu(ua) médico(a).

Acima de tudo, confie em você

Se você suspeitar que um sintoma pode estar relacionado ao seu método contraceptivo, confirme com seu(ua) médico(a).

(A pesquisa citada neste artigo foi realizada em mulheres cisgêneros, mas também deve ser relevante para pessoas trans binárias e não binárias com atribuição do gênero feminino no nascimento, que não se submeteram a nenhuma terapia hormonal de afirmação de gênero).

An illustration of a heart

Gostou dessa leitura? Ajude-nos a criar ainda mais conteúdo: contribua com nossa pesquisa científica. Donate now

Você também pode gostar de ler:

Artigos mais populares