Foto: Clár McWeeney

Contraceptivos

Preservativos femininos (internos) versus preservativos masculinos (externos)

por Clár McWeeney, Former Content Manager at Clue; e Nicole Telfer, Science Content Producer
  • Compartilhar este artigo no Twitter
  • Compartilhar este artigo no Facebook
  • Compartilhar este artigo pelo WhatsApp
An image for a banner Ad for the Let's Get Checked product

*Tradução: Mariana Rezende

Principais coisas que você deve saber:

  1. Os preservativos femininos (também conhecidos como preservativos internos) são um tipo de contraceptivo de barreira inserido na vagina antes do sexo.

  2. Os preservativos femininos protegem contra gravidez indesejada e infecções sexualmente transmissíveis (ISTs).

  3. As pessoas podem aproveitar mais o sexo com um preservativo feminino porque se sentem seguras, sabendo que estão no controle de sua saúde sexual e reprodutiva.

  4. É preciso prática para inserir os preservativos femininos corretamente.

O tipo de preservativo mais popular e acessível é o preservativo masculino (externo), que é colocado em um pênis ereto logo antes do sexo. O preservativo masculino é uma forma antiga de contracepção e proteção contra Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) – algumas pessoas sugerem que o preservativo masculino data do Egito antigo, mas a primeira descrição documentada de preservativo masculino foi feita pelo anatomista italiano Gabriello Fallopio em 1564 em seu livro De Morbo Gallico, como um método para prevenir a sífilis (1, 2).

Embora não sejam tão conhecidos, os preservativos femininos também existem. Eles são colocados dentro da vagina e são diferentes da barreira dental (do inglês "dental dam", uma espécie de folha de látex comumente usada na prática odontológica, que neste caso funciona como uma barreira colocada fora da vagina para o sexo oral).

O que são?

O preservativo feminino pode ser inserido na vagina até oito horas antes das relações sexuais acontecerem (3, 4). A maioria dos modelos disponíveis comercialmente tem um anel flexível em ambas as extremidades – um anel interno para segurar o preservativo dentro da vagina e um anel externo para impedir que o preservativo seja empurrado para dentro da vagina. O anel externo também cobre parte da vulva (5).

O preservativo feminino que está disponível para compra atualmente é uma invenção bastante recente, desenvolvida por Lasse Hessel e aprovada como um dispositivo médico pela Food and Drug Administration (FDA) dos EUA em 1994 (5). Porém, assim como os preservativos masculinos, o preservativo feminino é antigo – a lenda grega de Minos descreve o uso de um preservativo interno feito de uma bexiga de cabra (1,5). A primeira descrição moderna de um preservativo feminino aconteceu em 1907, em uma patente para um método de coleta de sêmen animal para reprodução (5).

Um tipo de preservativo feminino menos conhecido e menos disponível é o preservativo do biquíni. São roupas íntimas com uma abertura na virilha com fixadores aos quais os preservativos femininos podem se encaixar, para que o preservativo não seja empurrado completamente para dentro da vagina. Outro tipo de preservativo de biquíni é a roupa íntima que tem um preservativo preso em um compartimento fechado na frente da vulva, que pode ser aberto antes do sexo (5, 6).

Por que usar um preservativo feminino?

Os preservativos femininos são muitas vezes feitos de poliuretano ou nitrilo, materiais que são seguros para pessoas alérgicas ao látex. Outro benefício para os preservativos femininos de poliuretano ou nitrilo é que eles podem ser usados com todos os tipos de lubrificantes (4, 7). Certifique-se de conferir a embalagem antes de usar se tiver alergias ao látex ou for usar um lubrificante adicional.

O preservativo feminino não requer uma ereção para uso, ao contrário do preservativo masculino, que requer uma ereção antes de ser colocado.

Algumas pessoas acham que, depois de preliminares suficientes, parar para abrir, encontrar ou colocar um preservativo em um pênis pode atrapalhar as ereções e cortar o clima. Os preservativos femininos podem contornar isso, porque podem ser inseridos até oito horas antes do sexo (3, 4). Ter a outra pessoa assistindo você inserir um preservativo interno também pode ser um ponto de partida para as preliminares (7).

Depois do sexo, o preservativo feminino não precisa ser removido imediatamente, mas se a outra pessoa tiver ejaculado, coisas podem escorrer quando você ficar em pé (4, 8). É melhor remover o preservativo feminino na posição deitada. Segure o anel externo do preservativo e torça-o algumas vezes para vedar qualquer fluido de ejaculação para um processo de limpeza rápido e fácil (4, 8).

Os preservativos femininos são criados e aprovados para o sexo vaginal, mas algumas pessoas também relataram seu uso no sexo anal (9, 10). Embora os preservativos femininos e masculinos funcionem como métodos de barreira, são necessárias mais pesquisas sobre o quanto os preservativos femininos protegem contra a disseminação de ISTs durante o sexo anal (10, 11). Os preservativos femininos são eficazes na prevenção das ISTs durante o sexo vaginal (4).

Como usar um preservativo feminino

1. Remova o preservativo da embalagem e o desenrole. Segure-o pressionando o anel interno.

2. Insira o anel o mais alto possível no canal vaginal. É como inserir um copinho menstrual ou um absorvente interno. Use o dedo para garantir que o preservativo esteja dentro da vagina.

3. Remova seu dedo. A borda da abertura do preservativo deve ficar do lado de fora da abertura vaginal.

Prazer sexual aumentado?

Existem algumas outras vantagens em usar um preservativo feminino, incluindo o potencial de aumento do prazer sexual.

Os preservativos femininos dão às mulheres e às pessoas com vaginas o controle total da proteção usada durante o sexo. Os participantes de um grupo focal acharam o sexo mais prazeroso com os preservativos femininos, precisamente porque controlavam sua proteção contra as ISTs e a gravidez. Essas pessoas relataram que nem sempre podiam confiar plenamente em outras pessoas para usar um preservativo masculino, o que fez com que elas se preocupassem com as consequências do sexo desprotegido, em vez de aproveitarem plenamente sua experiência sexual (12).

Uma mão segurando um celular com o Clue app aberto

Use o Clue app para acompanhar mudanças no seu desejo sexual

Ilustração de uma avaliação cinco estrelas

4.8

mais de 2M+ avaliações

Ilustração de uma avaliação cinco estrelas

4.8

mais de 2M+ avaliações

Alguns participantes do grupo focal comentaram que o sexo era mais divertido fisicamente com um preservativo feminino – os pesquisadores acham que o motivo disso pode ser o lubrificante do preservativo (12). Como a maioria dos preservativos masculinos, os preservativos femininos são geralmente pré-lubrificados com fluidos de silicone ou lubrificantes à base de água (5).

Os anéis de preservativos femininos também podem proporcionar prazer extra. O anel externo do preservativo feminino pode fornecer estímulo adicional ao clitóris para algumas pessoas e algumas pessoas podem sentir estímulo adicional do anel interno durante a penetração profunda (7).

Como o pênis não é limitado por um preservativo masculino apertado, xs parceirxs podem achar que as sensações também são melhores para elxs (4).

Qualquer que seja o preservativo que você use, mantê-los em lugares acessíveis e incluí-los em suas preliminares pode torná-los parte da excitação, em vez de serem um obstáculo.

Algumas desvantagens

Existem algumas desvantagens para os preservativos femininos e nem todas as pessoas os consideram prazerosos.

Um dos maiores inconvenientes é que eles exigem prática para serem colocados corretamente, mas isso fica mais fácil com o uso frequente (4, 8). Tente inserir o preservativo feminino algumas vezes antes de usá-lo durante o sexo (8).

O requisito de que o preservativo feminino seja inserido antes de iniciar qualquer contato sexual ou excitação pode ser visto como uma vantagem e uma desvantagem. Por um lado, você não precisa interromper o calor do momento, mas, por outro, significa que você precisa antecipar quando fará sexo. Colocar a camisinha antes de qualquer preliminar é mais fácil do que durante as preliminares, já que a vagina e a pélvis estão relaxadas (8).

O barulho pode ser outro problema. Esses preservativos podem, por vezes, fazer sons inesperados durante o sexo. Tente adicionar mais lubrificante e certifique-se de inserir o preservativo 20 minutos antes de iniciar a relação, para que ele se fixe às paredes da vagina (8). Permitir esse tempo extra de aderência também pode proporcionar uma sensação mais natural ao sexo (8).

Os preservativos femininos são eficazes na prevenção de uma gravidez indesejada, mas os preservativos masculinos são mais eficazes. Quando usado corretamente, cinco em cada 100 mulheres que usam preservativos femininos engravidam em um ano (4). Isto é comparável ao preservativo masculino, que tem uma taxa de proteção de cerca de duas gestações por 100 mulheres durante o período de um ano, quando usado corretamente (4).

Quando usado incorretamente, 21 em cada 100 mulheres que usam o preservativo feminino engravidam em um ano (4). É preciso tempo para praticar e aprender como inserir e usar adequadamente a camisinha feminina.

Os preservativos femininos não são tão populares quanto os preservativos masculinos, e isso pode acontecer por falta de disponibilidade, preço mais alto e/ou preferência. Os preservativos femininos geralmente não estão disponíveis em supermercados, farmácias ou em máquinas de venda automática. Sua venda é geralmente limitada a lojas especializadas, algumas farmácias e centros de saúde reprodutiva ou varejistas online.

Tal como os preservativos masculinos, os preservativos femininos não são reutilizáveis. Os preservativos femininos não devem ser usados em conjunto com preservativos masculinos, isso pode aumentar as chances de um deles rasgar ou escorregar (8). Podem ser precisas algumas tentativas para que você se acostume com os preservativos femininos, mas a prática leva à perfeição.

Perguntamos a usuárixs do Clue sobre suas experiências com preservativos femininos. Os relatos são anônimos.

“Eu me senti empoderada porque [o preservativo feminino] era meu, porque os preservativos normais são mais uma coisa dos homens.”

“Adorei ter controle sobre o método. Sendo a único tomadora de decisão para a) quando (em que ponto no tempo) usar o preservativo e b) colocá-lo e sabendo que estava sendo usado corretamente, isso me fez sentir ótima. Em termos de sensação deu tudo certo para mim – o [material] é mais espesso do que preservativos típicos, e porque há mais material, ele se dobra um pouco e parece meio pesado, mas eu consigo me acostumar com isso. Talvez futuros preservativos femininos também possam ser “ultrafinos”. Meu parceiro não curtiu tanto, ele disse que era "como transar com uma água-viva."

“Gostei da ideia de colocar [o preservativo feminino] antes de chegar [à casa de um parceiro]; na prática, colocar uma camisinha é bem sexy e divertido".

“A maioria dos meus problemas vêm de lidar com o fato de que o material [do preservativo feminino] não é apertado contra a vagina, como os preservativos masculinos, que podem estar em um pênis, dedos ou vibrador. Eu não vejo como isso pode ser melhorado com o preservativo interno.”

“Eu não coloquei o preservativo feminino do jeito certo porque não tive paciência. Por causa disso, ele não parava no lugar. Eu realmente gostei da sensação de estar no comando da minha própria saúde sexual, mas acho que se eu continuar a usar preservativos femininos, o sexo precisará ser mais planejado para que eu tenha tempo de colocar a camisinha feminina direito.”

“Nós rimos muito do barulho que a camisinha fazia. Não é algo que planejamos fazer de novo.”

O que você acha do preservativo feminino? Conte para a gente no Twitter @clue.

An image for a banner Ad for the Let's Get Checked product

Você também pode gostar de ler:

Artigos mais populares