Foto por Clár McWeeney

Prazer

Como escolher um lubrificante íntimo

por Nicole Telfer, Autora Científica
  • Compartilhar este artigo no Twitter
  • Compartilhar este artigo no Facebook
  • Compartilhar este artigo pelo WhatsApp

*Tradução: Juliana Secchi

O lubrificante íntimo (lubrificante) pode ser usado para ajudar a tornar as práticas sexuais—como sexo, masturbação, ou uso de brinquedos sexuais—mais prazerosos. Os lubrificantes servem para reduzir o atrito entre a sua pele e a pessoa/objeto/ou parte do corpo que você está usando, o que pode eliminar irritação, dor e fricção desconfortável.

Por que usar lubrificante?

Por que não usar lubrificante? Lubrificante é ótimo! Usar lubrificante não deve ser motivo para sentir vergonha—pode ser um ótimo complemento para sua experiência sexual. Você não deveria sentir vergonha de usar lubrificante. Muitas pessoas que produzem fluidos vaginais em abundância ainda assim optam por usar lubrificante para aumentar o prazer sexual.

Cerca de metade das mulheres na pós-menopausa tende a notar maior secura vaginal e desconforto ao fazer sexo (1,2). Após a menopausa, a área geniturinária (incluindo a vagina e a vulva) pode mudar e atrofiar devido à diminuição dos níveis de estrogênio. Sem os níveis mais altos de estrogênio, esses tecidos se tornam mais finos, menos flexíveis, recebem menos fluxo sanguíneo e há menor produção de fluidos vaginais naturais (1). O uso de um lubrificante ajuda a diminuir o desconforto do sexo quando se tem secura vaginal, mas não evita o problema da atrofia do tecido vaginal.

Algumas pessoas podem apresentar secura vaginal, o que pode causar desconforto ou dor durante a relação sexual. Cada pessoa é diferente. Pessoas que estão amamentando, que estão tomando medicamentos (incluindo anti-histamínicos e antidepressivos), que tiveram câncer de mama e pessoas com síndrome de Sjogren também podem apresentar secura vaginal (2). Nessas situações, um lubrificante pode ajudar.

Lubrificantes produzidos pelo seu corpo

Existem muitos fluidos produzidos pelo seu corpo que podem atuar como lubrificação, muitos dos quais dependem de que fase você está no seu ciclo:

  • O sangue menstrual pode ser usado como lubrificante para masturbação ou sexo no início do seu ciclo.

  • O muco cervical, principalmente em torno da da ovulação, proporcionará um deslizamento mais escorregadio (apenas lembre-se de que praticar sexo heterossexual desprotegido no período da ovulação tem maior chance de gravidez).

  • Fluido vaginal e de excitação está presente durante todo o mês para ajudar a umedecer e lubrificar a vagina. Certifique-se de reservar tempo suficiente para as preliminares, para permitir que a sua excitação produza fluidos suficientes.

  • A saliva também pode ser usada como lubrificante. Usar sua própria saliva para se masturbar pode inclusive proteger o desenvolvimento da candidíase (3). Os pesquisadores acreditam que isso seja devido a algumas das bactérias protetoras e propriedades antifúngicas encontradas na saliva, além de uma falta de resposta imune contra seus próprios fluidos. Já ao contrário, receber sexo oral na vulva pode realmente aumentar suas chances de contrair uma infecção por candidíase (3).

Como escolher um lubrificante

Lubrificantes a base de água é asua aposta mais segura para começar. Pode ser usado para todas as suas necessidades sexuais: sexo por penetração, masturbação e uso de brinquedos sexuais. Os lubrificantes à base de água também são ideais para pessoas com pele sensível ou irritação vaginal e podem ser usados ​​com preservativos e brinquedos sexuais (4). Eles também são muito fáceis de limpar de lençóis e roupas e não deixam manchas.

Mas os lubrificantes à base de água têm algumas desvantagens. Eles não são bons para brincadeiras na água/sexo no chuveiro, pois eles simplesmente serão lavados com a água. Além disso, os lubrificantes à base de água tendem a ficar pegajosos e precisam de reaplicação frequente. Então, se você planeja ter uma maratona sexual, podemos sugerir outro tipo de lubrificação?

Lubrificantes à base de silicone são escorregadios, duram bastante e são ideias para práticas longas (4). Requer aplicação de quantidade menor de lubrificante e precisa ser reaplicado com menor frequência. Os lubrificantes à base de silicone também são ótimos para sexo ou masturbação no chuveiro, pois não são lavados com tanta facilidade. O problema é que os lubrificantes à base de silicone são um pouco mais chatos para lavar, pois depois você precisará de água e sabão para remover. Às vezes, lubrificantes à base de silicone também podem manchar os lençóis. (Dica de cuidado: nunca derrame uma garrafa de lubrificante à base de silicone em pisos de madeira—o piso ficará manchado e escorregadio por meses.)

Lubrificantes à base de silicone não devem ser usados ​​com brinquedos sexuais à base de silicone, pois podem danificar a borracha com o tempo. No entanto, isso não significa que todos os brinquedos sexuais sejam incompatíveis com lubrificantes à base de silicone—existem muitos brinquedos feitos de outros materiais, como plástico rígido, vidro e aço.

O lubrificante à base de óleo também proporciona uma sensação escorregadia que dura mais tempo que o lubrificante à base de água. Esses lubrificantes são ideais para masturbação (com as mãos ou brinquedos), sexo desprotegido por penetração e brincadeiras na água. Lubrificantes à base de óleo também podem ser usados ​​para uma massagem sensual.

Lubrificantes à base de óleo (ou quaisquer outros produtos derivados do petróleo, como vaselina ou óleo mineral) não devem ser usados ​​com preservativos de látex pois podem dissolver o látex do preservativo e fazer com que se rompam (4). Os diafragmas de látex e os brinquedos sexuais de látex também não devem ser usados com lubrificantes à base de óleo. Os preservativos sem látex (como os feitos de poli-isopreno) também são sensíveis aos lubrificantes íntimos à base de óleo. Dessa forma, verifique a embalagem antes de usar (5).

Outra desvantagem dos lubrificantes à base de óleo é que eles podem ser mais difíceis de limpar dos lençóis e do corpo.

an image of 3 mobile screens of the Clue app

Registre diariamente no Clue app suas emoções e a libido sexual

  • Baixe o Clue app na App Store
  • Baixe o Clue app na Play Store

4.8

Ilustração de uma avaliação cinco estrelas

mais de 2M+ avaliações

Lubrificantes para sexo anal

A lubrificação íntima é recomendada para o sexo anal uma vez que o canal anal não produz fluidos que facilitem a penetração. Além disso, o esfíncter muscular apertado na entrada do ânus oferece muito mais resistência do que a vagina, que é cheia de dobras e tecido elástico.

O uso de um lubrificante pessoal também pode tornar o sexo anal mais seguro. O uso de um lubrificante à base de água diminui as chances de rompimento do preservativo durante o sexo anal, ao contrário dos lubrificantes à base de óleo ou saliva, que aumentam as chances de rompimento do preservativo durante o sexo (6). As chances de o preservativo sair durante o sexo anal também estão relacionadas à lubrificação. Aplicar lubrificação na parte externa do preservativo pode diminuir as chances de que escape, enquanto a aplicação de lubrificante na parte interna do preservativo pode aumentar as chances de isso acontecer (6).

É bom saber antes de comprar...

Em geral, evite qualquer lubrificante que contenha sabores artificiais, cores, açúcares, óleos essenciais, aditivos adicionais ou glicerina— você nunca sabe como seu corpo reagirá a esses aditivos. Especialmente se for a sua primeira vez usando um lubrificante íntimo—alguns desses recursos extras, como "aquecimento" ou "formigamento", podem ser mais impressionantes do que o esperado. Além disso, apenas porque um produto é "natural" não significa necessariamente que seja melhor para você. Verifique a lista de componentes, leia as opiniões dos produtos ou vá a uma loja de brinquedos sexuais e pergunte.

Glicerina ou glicerol é um álcool de açúcar que às vezes é usado em lubrificantes. Ainda não se sabe ao certo se existe uma ligação entre lubrificantes contendo glicerina/glicerol e a saúde das bactérias na vagina. Algumas evidências sugerem que os lubrificantes que contêm glicerina podem aumentar as chances de infecções vaginais, enquanto outros realmente acreditam que a glicerina não faz diferença para a microflora da vagina (7,8). Mais pesquisa se faz necessária sobre o assunto.

Às vezes, uma grande quantidade de gliceróis (e outros compostos similares) são usados ​​em lubrificantes para proporcionar propriedades especiais, como sensações de aquecimento ou um deslizamento a mais (5). Um lubrificante com alta concentração de gliceróis pode realmente trazer um efeito negativo nos tecidos anal e vaginal, causando danos e desidratação a esses tecidos (9-11). Esse dano ao tecido não é apenas desconfortável, como também pode aumentar o risco de transmissão de ISTs (5).

Ao escolher um lubrificante à base de água, tente escolher um que apresente a acidez de uma vagina saudável—pH em torno de 3,8 a 4,5—para evitar aumento do risco de vaginose bacteriana (5). O ânus tem um nível de acidez mais neutro (pH 5,5 a 7), portanto procure escolher um lubrificante adequado aqui também (5).

Alguns lubrificantes também podem conter espermicidas químicos, mas esses podem causar irritação na vagina e, portanto, não são recomendados (5). Se você está tentando engravidar e está usando lubrificante, certifique-se de comprar um que seja específico para esse objetivo, pois alguns lubrificantes podem diminuir a motilidade espermática.

Sexo doloroso: um alerta

Se o sexo é doloroso para você, aumentar a lubrificação nem sempre é a resposta. Muitas doenças ou infecções podem apresentar sintomas de dor durante a relação sexual, principalmente no sexo vaginal. Isso inclui doenças de pele, inflamação, infecções, alterações hormonais, trauma e muitas outras (4). Se você sentir dores recorrentes ou que pioram durante o sexo, consulte seu médico.

Ilustração de um microscópio

Gostou dessa leitura? Ajude-nos a criar ainda mais conteúdo: contribua com nossa pesquisa científica.

Você também pode gostar de ler:

Artigos mais populares