Foto: Franz Grünewald

Reading time:8min

Masturbação: dúvidas comuns e equívocos

*Tradução: Juliana Secchi

Historicamente a masturbação—especialmente a feminina—tem sido vista como algo perigoso, não saudável e mesmo um tabu. Mas isso está mudando. Não importa qual seja a sua idade e se você nunca se masturbou antes ou se o faz todos os dias, você ainda pode ter algumas dúvidas sobre a masturbação. A masturbação pode causar algum problema de saúde? Pode te fazer perder a virgindade? Tudo bem se masturbar se você está em um relacionamento? Continue lendo para encontrar as respostas para essas perguntas e mais.

As mulheres se masturbam?

Sim, as pessoas de todos os gêneros se masturbam.

Susan Quilliam descobriu em sua pesquisa (publicada no livro intitulado, em inglês, Mulheres no Sexo) que 4 entre 5 mulheres se masturbam regularmente (1). Em um estudo de 2016 realizado pela Universidade de Indiana nos EUA, 3 entre 4 mulheres com idades entre 25–29 e 1 em cada 2 meninas com idades entre 14–17 disseram que se masturbavam (2). Existe uma lacuna nas pesquisas sobre masturbação que reconheça a existência de pessoas transgênero ou não-binárias.

Todo mundo se masturba da mesma forma?

Não, e na privacidade do seu espaço próprio não existe certo ou errado na masturbação.

Geralmente quando falamos sobre masturbação estamos nos referindo a tocar, pressionar, esfregar ou massagear a área genital de uma pessoa; os mamilos, ou outras zonas erógenas com os dedos ou contra um objeto, como um travesseiro. Também pode incluir inserir os dedos ou um objeto na vagina ou ânus; ou estimular genitais com brinquedos, como um vibrador elétrico. Pode-se também usar brinquedos ou estimular qualquer parte do seu corpo que provoque uma sensação prazeirosa—existem inúmeras formas diferentes de se masturbar. Desde que o que você estiver fazendo não seja perigoso para você ou outros, você pode se masturbar da maneira que preferir.

Baixe o Clue agora e registre seu apetite sexual, entre outros sintomas e emoções

  • Baixe o Clue app na App Store
  • Baixe o Clue app na Play Store
Imagem de três telas mostrando o aplicativo Clue

A masturbação individual pode causar doenças?

Não.

A não ser que você esteja com as mãos não limpas ou com um objeto não higienizado, a masturbação individual não causa doença ou infecção. E ao contrário do sexo com um parceiro, a masturbação individual não levará a uma gravidez indesejada ou a infecções sexualmente transmissíveis (considerando que o ambiente e os objetos estejam limpos). Além disso, é uma forma segura de descobrir o que te deixa confortável e o que não funciona para você.

Se você notar qualquer atrito ou irritação na pele, pode procurar usar um lubrificante adequado—evite loções, vaselina ou óleos que podem irritar sua vulva e vagina. Irritações ou infecções podem aparecer se o seu corpo for sensível às coisas que você usa para se masturbar, e germes do ânus podem causar infecções vaginais e uretrais. Se quiser introduzir algo na sua vagina que esteve antes no seu ânus, lave primeiro ou cubra com um preservativo.

Se você estiver se masturbando com um parceiro mas apenas tocando as suas genitais—e não as genitais do seu parceiro, não há risco de transmissão de IST ou gravidez (4). Assegure-se de cobrir brinquedos com um preservativo ou higienizá-los antes de dividir com um parceiro, para evitar o desenvolvimento de vaginose bacteriana (VB) ou transmissão de ISTs. Se você toca as genitais do seus parceiros, ou eles tocam as suas (introduzindo dedos, masturbação), então há risco de transmissão de algumas ISTs (tais como HPV, verrugas genitais, clamídia, vírus da herpes 1 e/ou 2 e sífilis) (4).

Riscos de infecção aumentam quando mais dedos ou se a mão inteira estiverem dentro da vagina ou ânus (prática chamada de fisting), uma vez que pode causar rompimentos que permitem a transmissão de IST por meio do sangue e outros fluidos (5). Há também um risco maior de infecção ao colocar os dedos na boca ou na boca do parceiro após tocar as genitais ou ânus, ou se há qualquer sexo oral envolvido (colocar a boca nas genitais do parceiro ou no ânus) (6).

A masturbação pode te ajudar a aprender como ter orgasmo?

Sim.

A masturbação pode ser uma das maneiras mais gratificantes de sentirmo-nos sexuais e, para pessoas de todos os gêneros, é uma oportunidade de conhecer seu corpo e explorar seus desejos. Pode ser uma forma de descobrir novas sensações e reações, como a ejaculação feminina. Cerca de 9 entre 10 mulheres sempre têm orgasmos quando se masturbam (1) enquanto que apenas 1 em cada 4 mulheres atingem o orgasmo de forma consistente durante relações por penetração do pênis na vagina. (3).

Você pode perder sua virgindade ao se masturbar?

Não.

A virgindade não é algo físico ou médico. É uma ideia cultural, sobre a qual muitas pessoas têm definições e opiniões diferentes. Os conceitos de virgindade às vezes estão ligados à ideia de que a sua abertura vaginal é coberta por uma membrana que é “rompida” pelo sexo vaginal.

A coroa vaginal (também conhecida como hímen) consiste em finas dobras de tecido mucoso localizadas 1–2 centímetros logo dentro da abertura vaginal (7). Anna Knöfel Magnusson da RFSU (Associação Sueca para Educação em Sexualidade) escreveu sobre isso no livro Coroa Vaginal: Mitos que cercam a virgindade, “Cada coroa tem uma aparência diferente e difere em tamanho, cor e forma. É ligeiramente rosada, quase transparente, podendo assemelhar-se às pétalas de uma flor, a um quebra-cabeças ou a uma meia-lua. Na grande maioria dos casos, é elástica e estica. Muito raramente, as dobras do tecido mucoso podem cobrir toda a abertura vaginal. Nesse caso, pode ser necessário consultar um ginecologista para abrir a coroa vaginal e assim liberar o sangue menstrual, para permitir a inserção de um tampão ou para sexo por penetração.”

A inserção de objetos (incluindo tampões, copos menstruais, brinquedos ou dedos) na vagina, bem como atividade física básica, podem contribuir para a diminuição gradual da coroa vaginal. As mudanças hormonais que ocorrem à medida em que as pessoas mudam durante a puberdade também podem alterar a forma e a flexibilidade da coroa vaginal (8). Independentemente de você se masturbar ou não, sua coroa vaginal (se você já teve uma, para começo de conversa) irá se desgastar com o tempo. A anatomia e o propósito da coroa vaginal ainda não são muito bem compreendidos, e mais pesquisas são necessárias.

Tudo bem masturbar-se se você está em um relacionamento?

Sim.

Sexo com parceiro ou masturbação individual não precisam ser mutuamente exclusivos, podem ser experiências sexuais complementares. Masturbação individual pode ser uma boa forma de aprender sobre seu próprio corpo, dessa forma podendo ser um caminho para ter melhor sexo.

Pesquisas sugerem que mulheres que masturbam-se regularmente conseguem reconhecer mais facilmente suas necessidades sexuais (9). A masturbação mútua com um parceiro pode te ajudar a aprender mais sobre as preferências sexuais um do outro.

A masturbação faz MAL?

Não.

A masturbação não pode te deixar infértil, não causa acne nem faz crescer pêlos nas mãos. Muitas dessas superstições podem ser encontradas em um livro publicado anonimamente em 1756 intitulado Onania ou o pecado hediondo da autopoluição e todas as suas consequências terríveis, que parece ter sido elaborado para afastar as pessoas do prazer próprio. O surgimento de pêlos nas palmas das mãos pode ser causado por uma rara condição genética, enquanto a acne é normalmente associada com alterações hormonais que são um sinal comum da puberdade (10, 11). Existe também uma ligação entre miopia e puberdade, mas a masturbação não prejudicará a sua visão (12).

A masturbação não é ruim para você fisicamente, sexualmente ou emocionalmente— a não ser que seja algo que você simplesmente não queira fazer. Na verdade, masturbação pode de fato te fazer bem.

O orgasmo (por sexo ou masturbação) pode reduzir sensações doloridas gerais (13) e menstruações dolorosas (14). Os hormônios liberados durante o orgasmo podem fazer você querer envolver-se em mais atividades sexuais (15). A masturbação já foi, inclusive, associada à melhora da imagem corporal (16).

Por que existem tantos mitos ao redor da masturbação?

Mitos sobre a masturbação ser algo não saudável ou prejudicial são oriundos do medo e da ignorância com relação à sexualidade humana. A maioria das pessoas se masturba, e ao longo da História, a maioria das pessoas se masturbou. A masturbação não é ruim nem perigosa—é uma forma normal e saudável em que muitas pessoas aprendem sobre sua sexualidade e atingem o orgasmo pela primeira vez.

Está bem masturbar-se frequentemente, ocasionalmente ou nunca—não há nada errado em não se masturbar, se você não tiver vontade. Faça todas as escolhas em relação à masturbação com base no que é bom e certo para você, ao invés de se basear em medos do que os outros possam pensar ou nos mitos sobre o que a masturbação pode fazer ao seu corpo.

Quando se trata de amar a si próprio e ao seu corpo, o prazer não é apenas diversão—é uma forma de autocuidado. Por que então não se cuidar?

Baixe o Clue para descobrir se a sua libido muda ao longo do seu ciclo menstrual. Você pode monitorar sua masturbação utilizando as etiquetas customizadas.

Artigo originalmente publicado em 10 de Janeiro de 2018.

ilustração da flor do Clue app
ilustração da flor do Clue app

Viva em sintonia com seu ciclo, baixe o Clue hoje.

Artigos mais populares

ilustração da flor do Clue app
ilustração da flor do Clue app

Viva em sintonia com seu ciclo, baixe o Clue hoje.