Arte por Claire McWeeney e Marta Pucci

Pele e cabelo

O cabelo e o ciclo menstrual

por Nicole Telfer, Science Content Producer
  • Compartilhar este artigo no Twitter
  • Compartilhar este artigo no Facebook
  • Compartilhar este artigo pelo WhatsApp

Tradução: Mariana Rezende

Coisas importantes que você deve saber:

  • Algumas pessoas relatam mais dias de cabelo ruim durante a menstruação.
  • A produção de óleo que existe ao longo de seus folículos pilosos é influenciada por seus hormônios.
  • Seu cabelo pode mudar durante diferentes fases da vida, como a gravidez e a menopausa

Como o cabelo muda durante o ciclo menstrual

Sua pele e couro cabeludo mudam conforme as variações hormonais que acontecem durante o seu ciclo. Algumas pessoas relatam mais dias de cabelo ruim durante a menstruação (1).

Muitas das mudanças no seu cabelo que você pode estar associando com seu ciclo acontecem por causa da produção de óleo das glândulas sebáceas. Tanto o sebo (óleo produzido pela glândula sebácea) e o folículo piloso saem da mesma abertura na pele, no pelo e a pele que o rodeiam podem estar revestidos de sebo.

A produção de sebo é influenciada por seus hormônios, principalmente os androgênios (como a testosterona) (2,3).

A produção de sebo muitas vezes aumenta bastante durante a puberdade e costuma ser produzido em grandes quantidades entre as idades de 15 a 35 anos, como é bem observado na pele (4). O estrogênio também influencia a produção de sebo, principalmente pela supressão dos níveis de produção de sebo e ativação das glândulas sebáceas, sobretudo em altas doses (2,3,5-7). Em um estudo sobre a produção de sebo na pele, pessoas com pele oleosa notaram um aumento na produção de sebo durante o período pré-menstrual e menstrual, e a menor quantidade de produção de sebo registrada durante a segunda semana do ciclo (8).

Um estudo descobriu algo interessante: mesmo se mais dias de cabelo ruim foram registrados durante a menstruação, eles não se correlacionaram com o aumento dos níveis de sebo no couro cabeludo (1). Não houve uma explicação clara para os dias ruins de cabelo, talvez o motivo seja uma diferença na percepção pessoal dos participantes em relação aos próprios cabelos (1). A mudança está ou não na sua cabeça?

Alguns contraceptivos hormonais (como o acetato de clormadinona, uma progesterona sintética que fornece atividade antiandrogênica) também podem afetar a qualidade do cabelo e da pele (9). Em um estudo com pessoas que tomavam esses medicamentos, as participantes tiveram uma redução na produção de sebo e uma percepção melhorada da qualidade do cabelo (9).

Entendendo a anatomia do cabelo

Se você tem curiosidade sobre as mudanças no seu cabelo e suspeita que possam estar ligadas às alterações hormonais, é útil entender a anatomia do cabelo.

Existem muitos tipos diferentes de cabelo que crescem em seu corpo, diferindo em textura, comprimento, tipo e densidade. Pense na diferença entre o cabelo na sua cabeça e o pelo fino no seu torso. As únicas áreas da nossa pele sem crescimento de pelos estão nas palmas das mãos, nas solas dos pés e nos lábios (10).

Cada pelo individual cresce a partir de folículos pilosos. A parte do pelo que você pode ver saindo da sua pele é chamada de haste do pelo.

Cada folículo capilar faz parte de uma unidade pilossebácea dentro da pele, que consiste de um folículo piloso, uma glândula sebácea e um músculo pequeno chamado de músculo eretor do pelo. A glândula sebácea produz um óleo chamado sebo, que sai para a pele através da mesma via do cabelo.

O músculo eretor do pelo é um músculo muito pequeno que está ligado a cada folículo capilar individual. Quando você está com frio ou com medo, é possível notar que sua pele e os pelos do seu corpo ficam arrepiados – o responsável por isso é o pequeno músculo. Alguns pelos, como os cabelos, podem estar em fase ativa de crescimento por muitos anos, enquanto outros, como os das sobrancelhas, podem crescer por apenas alguns meses antes de caírem (11).

Existem três fases do ciclo de vida de um cabelo. A fase de crescimento (fase anágena), o fim do crescimento ativo do cabelo (fase catágena), e a fase final de repouso onde o cabelo está morto e eventualmente cairá (fase telógena) (10,11). Perder os cabelos todos os dias faz parte do ciclo de vida natural do cabelo,é normal perder entre 50 e 150 pelos no couro cabeludo por dia (11).

Mudanças no cabelo durante a gravidez, menopausa e SOP

Durante a gravidez, algumas pessoas podem notar aumento da espessura do cabelo. Isso acontece porque o número de cabelos perdidos diariamente é reduzido. A gravidez influencia os folículos capilares a permanecer dentro de sua fase de crescimento (fase anágena) por mais tempo do que o normal (12).

Depois do parto, é normal notar o aumento da perda de cabelo, pois todos os cabelos que permaneceram na fase anágena prolongada se transformam em fase catágena (11,12). Isso é considerado comum e não deve ser motivo para pânico. Mesmo que pareça que você está perdendo uma quantidade anormal de cabelo, é apenas um acúmulo de todo o cabelo que você normalmente teria perdido durante a gravidez (12).

Outras mudanças que podem acontecer no seu cabelo durante a gravidez são o aumento no diâmetro da fibra capilar, ou seja, da espessura do cabelo, em comparação com mulheres não grávidas (13). Esta mudança no diâmetro do cabelo também pode contribuir para a sensação de aumento da espessura do cabelo durante a gravidez.

O crescimento do cabelo também pode mudar na época da menopausa, já que os níveis de hormônios sexuais mudam nesta fase da vida.. Algumas pessoas podem notar que desenvolvem queda de cabelo em padrão feminino, em que a linha do cabelo pode permanecer a mesma, mas a densidade do folículo capilar diminui em torno do topo e dos lados da cabeça (12). O hirsutismo facial (crescimento anormal do cabelo) também é comum após a menopausa, cerca de metade das mulheres na pós-menopausa relatando crescimento excessivo de pelos faciais (12,14).

Outra causa muito comum de hirsutismo é a síndrome do ovário policístico (SOP), na qual os níveis de androgênios são anormalmente altos. Tanto na SOP como após a menopausa, os níveis de androgênios são relativamente mais altos. Esse excesso de androgênios promove o crescimento de pelos mais escuros e aumenta a produção de sebo (10,12).

Qual é a média saudável

O cabelo de cada pessoa é diferente, assim como todo corpo é diferente. Cor, comprimento, espessura, ondulações, não existe uma média ou tamanho de cabelo dito normal, apenas o que é “normal” para você. O cabelo é muito diferente de pessoa para pessoa.

Alguns pesquisadores tentaram avaliar a velocidade com que o cabelo cresce e descobriram que o cabelo cresce cerca de 15 cm por ano, ou 1,25 cm por mês (15).

Existem outros culpados além dos seus hormônios que podem explicar um dia de cabelo ruim. Por exemplo, fatores ambientais (poluição, fumaça, exposição à luz ultravioleta, água salgada), produtos capilares, permanente, clareamento, tingimento de cabelo, uso excessivo de produtos capilares, lavagem pouco frequente, escovação áspera e uso excessivo de calor para secagem do cabelo (1,16).

Baixe o Clue e acompanhe como o seu cabelo muda ao longo de seu ciclo.

Você pode qualificar seu cabelo diariamente e marcá-lo como "Bom", "Ruim", "Oleoso" ou "Seco". Se quiser acompanhar mais, você pode criar uma tag personalizada.

Muitos usuários do Clue nos deram feedback sobre nossos ícones, pedindo que eles sejam mais inclusivos para todos os tipos de cabelos. Nós ouvimos você! Fiquem atentos, porque temos novos ícones sobre cabelos a caminho!

*O Clue preza pela neutralidade de gênero: falamos de menstruação a partir de um esforço inclusivo - leia e saiba mais.

An illustration of a heart

Gostou dessa leitura? Ajude-nos a criar ainda mais conteúdo: contribua com nossa pesquisa científica. Donate now

Você também pode gostar de ler:

Artigos mais populares