Ilustração: Marta Pucci

Anatomia

Do útero para o mundo: o essencial sobre a vagina

por Nicole Telfer, Autora Científica
  • Compartilhar este artigo no Twitter
  • Compartilhar este artigo no Facebook
  • Compartilhar este artigo pelo WhatsApp
An image for a banner advertisement for the Ruby cup product

*Tradução: Monique Oliveira

Coisas importantes a saber:

  • A vagina conecta a vulva ao colo do útero;

  • Em um estado não excitado, as paredes da vagina ficam juntas;

  • A vagina muda: durante o sexo, durante todo o ciclo menstrual, com a idade e de acordo com diferentes fases da vida;

O termo vagina muitas vezes é usado como referência para toda a região genital feminina entre as pernas – mas essa denominação é incorreta.

Comecemos corrigindo esta terminologia. As partes externas da genitália feminina são chamadas de vulva. Isso inclui o clitóris, os pequenos e grandes lábios, abertura da uretra e da vagina (o intróito vaginal) e todo o tecido ao redor dessas estruturas.

Já a vagina, é um canal, um túnel entre o útero e o mundo exterior (inclusive a vulva) que comunica o útero com o meio externo. É pela vagina que o bebê sai durante o parto e também é por ela que o sangue menstrual escorre. A vagina também é usada para inserção do pênis, dos dedos, de preservativos femininos, de brinquedos sexuais, de absorventes internos ou de coletores menstruais.

A vagina também pode atuar como um caminho para outras partes do corpo. Durante o sexo pênis-vagina, a ejaculação é depositada na vagina, permitindo que o esperma entre no útero através do colo do útero. As paredes da vagina também podem ser usadas como uma via administrativa para medicamentos e contraceptivos, como os cremes hormonais intervaginais, o anel vaginal contraceptivo ou os outros medicamentos.

Anatomia da vagina

Pode parecer estranho que um órgão capaz de passar um bebê inteiro também consiga manter um pequeno absorvente interno no lugar por horas. Como esse absorvente fica lá? Se a vagina é um “túnel”, como ele não cai?

A vagina é mais que um canal. Quando está em um estado relaxado (não-excitado), suas paredes fecham, pressionadas por órgãos e tecidos ao redor. Durante esse estado, o lúmen vaginal (um tecido transversal dentro do canal vaginal) fica em formato de H ou W porque as paredes se achatam (2). É por isso que o absorvente interno permanece no lugar, sem cair (2, 3).

As paredes da vagina são revestidas por dobras (3). Essas dobras, juntamente com as paredes internas, funcionam ao mesmo tempo como uma barreira e uma rota de acesso entre o colo do útero e o mundo lá fora. Essas dobras permitem que a vagina tenha uma elasticidade e só se estique quando uma pressão é aplicada (por exemplo, quando a cabeça de um bebê está passando).

Diferentes camadas de tecido revestem as paredes da vagina. As camadas superficiais da parede vaginal são feitas de tecido semelhante ao que reveste sua boca, nariz e tubo digestivo, conhecido por mucosa. Por baixo da mucosa existem camadas de tecido muscular liso, colágeno e fibras de elastina, que dão à vagina a estrutura e capacidade de alongamento (4).

As paredes da vagina liberam líquidos para mantê-la úmida; e, durante períodos de maior excitação, aumentam a lubrificação. A vagina também é capaz de absorver algumas substâncias - como medicamentos, cremes hormonais ou contraceptivos (3).

Como a vagina muda com a idade?

A vagina pode mudar muito ao longo da vida (1,5). Uma vagina adulta comum é ligeiramente curva e pode ter entre 7 e 12 cm de comprimento (1, 3,4). Vale lembrar aqui que cada corpo é diferente: não existe uma vagina muito pequena ou muito grande.

Também a vagina é fortemente influenciada por alterações hormonais. Após a primeira menstruação e antes da menopausa, mais camadas de tecido surgem para alinhar a vagina. Isso ocorre por níveis mais elevados de estrogênio (3).

Hormônios durante a gravidez também influenciam a vagina. Há aumento de fluxo sanguíneo para a pelve – o que causa uma mudança profunda de cor na vulva e na vagina (5). Durante toda a gravidez, o tecido das paredes vaginais relaxa progressivamente, preparando-se para o parto de um bebê (5). Após o parto, a vagina e a abertura vaginal aumentam, mas de 6 a 12 semanas após o parto, a vagina retorna ao tamanho pregestacional (5).

Na medida em que as pessoas envelhecem, as paredes da vagina se tornam mais relaxadas e seu diâmetro mais amplo (1). Mas o tamanho vaginal não afeta a função sexual ou o prazer (6). A percepção do aperto vaginal durante o sexo está relacionada principalmente com os músculos do assoalho pélvico. Eles estão presentes ao redor da base da vagina e não na largura do canal vaginal.

Após a menopausa, quando o estrogênio é menor, as paredes da vagina se tornam mais finas e mais frágeis, o que pode causar a chamada secura vaginal (5). Isso pode resultar em desconforto durante o sexo e aumentar as chances de irritação ou infecção vaginal (5).

Como a vagina muda durante o ciclo menstrual?

A vagina também muda ao longo do mês em resposta às flutuações hormonais do ciclo menstrual. Lá pelo meio do ciclo, quando o estrogênio é mais alto, o tecido vaginal se torna mais espesso e mais cheio (5).

O colo do útero, no topo da vagina, também se move e muda a sua forma ao longo do ciclo. Antes do período fértil, o colo do útero está baixo e pode ser sentido na vagina, com uma textura firme, e o orifício no centro do colo do útero fica fechado. Durante o período fértil, o orifício do colo do útero se abre para facilitar a entrada do espermatozoide (7). O colo uterino também se eleva mais na vagina e é mais macio quando tocado (8).

Uma mão segurando um celular com o Clue app aberto

Baixe o Clue e registre todo sobre sua vagina: sangramento, sexo, contracepção e corrimento.

Ilustração de uma avaliação cinco estrelas

4.8

mais de 2M+ avaliações

Ilustração de uma avaliação cinco estrelas

4.8

mais de 2M+ avaliações

Como a vagina muda durante o sexo?

A atividade sexual também altera a vagina. Quando uma pessoa com uma vagina é sexualmente excitada, mais sangue é direcionado para os órgãos genitais, fazendo o tecido vaginal ser regado por sangue e com mais produção de lubrificação.

Durante a excitação, a vagina se expande alongando e alargando a forma – num fenômeno conhecido como balonismo. Essa mudança de formato acontece porque o útero e o colo do útero são atraídos para dentro da pelve, o que cria mais espaço na vagina. Esse espaço é necessário para que o sêmen não vá direto para o útero. Assim, há tempo para que o espermatozoide se misturar aos fluidos genitais femininos e se submeter às mudanças necessárias para fertilizar o óvulo (9).

A vagina é um órgão incrível que muda em resposta a hormônios, a fases da vida e a respostas físicas. Então sinta-se à vontade para mostrar todo seu amor à sua vagina, e sinta-se livre para dizer a todos o quão fantástica é a sua vagina.

Artigo originalmente publicado em 18 de abril de 2018.

An image for a square advertisement for the Ruby cup product
An illustration of a heart

Gostou dessa leitura? Ajude-nos a criar ainda mais conteúdo: contribua com nossa pesquisa científica. Contribua agora

Você também pode gostar de ler:

Artigos mais populares