Foto: Claire McWeeney

TPM e TDPM

Os 3 maiores mitos sobre a TPM

Sintomas vs. tensão: desconstruindo equívocos sobre a experiência pré-menstrual

por Lisa Kennelly, Ex-Gerente de Marketing; Mike LaVigne, Chefe de Gerência de Produto; Kayleigh Teel, Autora; e Erica Avey, Ex-Editora do Clue
  • Compartilhar este artigo no Twitter
  • Compartilhar este artigo no Facebook
  • Compartilhar este artigo pelo WhatsApp

*Tradução: Jade Augusto Gola

Quando você escuta essas três letras juntas, T—P—M, as chances são de que você tenha calafrios. A percepção mais comum é que, se você sofre de tensão pré-menstrual (TPM), você se torna uma pessoa inchada e emocionalmente bagunçada por alguns dias, todos os meses. Por mais que isso possa ser verdade, essa ideia não ilustra a verdadeira amplitude das experiências pré-menstruais — e há muito mais sobre TPM do que o famoso conjunto de sintomas negativos (1).

A TPM agrupa coisas indiscriminadamente como comer um pote inteiro de sorvete junto do menosprezo por mulheres em posições de poder. A TPM dá peso exagerado e sem fundamento a pessoas que apontam os dedos para a biologia alheia.

A experiência pré-menstrual varia dramaticamente de pessoa pra pessoa, e pode ir desde alguns sintomas ligeiros até condições quase debilitantes.

O Clue criou uma ferramenta para ajudar as pessoas a aprenderem mais sobre seu corpo e a dispersar mitos e desinformação sobre o ciclo menstrual. A TPM é justamente um dos aspectos mais mal interpretados.

an image of 3 mobile screens of the Clue app

Baixe o Clue para monitorar seus sangramentos e descobrir padrões pessoais.

  • Baixe o Clue app na App Store
  • Baixe o Clue app na Play Store

4.8

Ilustração de uma avaliação cinco estrelas

mais de 2M+ avaliações

Primeiro, vamos entender direitinho o que significa quando dizemos TPM.

O que é a TPM de fato?

A tensão pré-menstrual (TPM) é um grupo de mudanças físicas, comportamentais e emocionais durante o período antes da menstruação, ocorrendo na maioria dos ciclos menstruais e afetando a normalidade da vida de quem tem TPM (2). Os critérios médicos para o diagnóstico de TPM são:

  1. Sintomas que se apresentam durante os cinco dias antes do início da menstruação, por ao menos três ciclos menstruais

  2. Esses sintomas passam cerca de 4 dias depois da menstruação

  3. Interferência nas atividades cotidianas (2)

Para um diagnóstico clínico da TPM, seu provedor de saúde irá levar em conta a quantidade, tipo e severidade de seus sintomas. Perceber os seus sintomas pré-menstruais com esses pontos em mente te ajuda a avaliar melhor sua experiência individual.

Mito #1: Todas as mulheres e pessoas com ciclo têm TPM.

Tal mito vem do do equívoco popular de que qualquer sintoma que ocorra antes da menstruação é diretamente relacionado à TPM. Na verdade, só porque alguém vivencia alguns sintomas pré-menstruais não significa que é o caso de TPM.

A TPM é um diagnóstico médico (ICD-10-N94.3) de múltiplos sintomas incluindo tanto desconfortos emocionais quanto físicos (3). Se pessoas têm sintomas pré-menstruais de leve a moderada intensidade, mas eles não afetam negativamente a vida de forma significativa, então não se considera TPM (de uma perspectiva médica) (4).

Relatos de tipos de TPM variam tanto que é quase impossível dizer quantas pessoas a vivenciam. Isso se dá provavelmente porque a TPM muitas vezes é usada como termo abrangente para a sensação de quaisquer sintomas, e não apenas o diagnóstico de TPM.

Muitas pessoas que usam a expressão "TPM" para definir suas sensações pré-menstruais estão se referindo a sua fatia pessoal de sintomas individuais, muito mais do que a um diagnóstico médico. Por exemplo, uma dor de cabeça que acontece alguns dias antes da menstruação de alguém pode não ter impacto significativo em suas atividades cotidianas, mesmo que seja algo desconfortável. Neste caso, a dor de cabeça é um sintoma pré-menstrual leve. Já no caso de experiências recorrentes com depressão, insônia e cansaço extremo pode haver um impacto significativo no bem-estar de alguém e, assim, formarem critério para TPM ou até mesmo transtorno disfórico pré-menstrual (TDPM) (5).

Conclusão #1: Ter sintomas pré-menstruais não é a mesma coisa do que uma tensão pré-menstrual (TPM).

Mito #2: A fase pré-menstrual é sobre alterações negativas de humor.

A ciência embasa o fato de que a experiência pré-menstrual não é intrinsicamente negativa para todo mundo, ao contrário do que sugere nossa cultura, mídia e sociedade. É mais comum falar negativamente sobre sintomas pré-menstruais na cultura e sociedade, mas isso limita a verdadeira experiência da fase pré-menstrual, que também traz aspectos positivos (1).

A pesquisa atual fez uma ligação primordial dos humores negativos com mecanismos biológicos, como as flutuações hormonais (1). A maioria da pesquisa sobre TPM deduziu uma relação linear entre biologia e comportamento, e falhou em refletir a real experiência da TPM dentro de contextos socioculturais (6).

Pesquisadores já apontaram que a maioria dos estudos sobre TPM sofrem com grandes erros metodológicos. Foi revelado como que, em muitos estudos, participantes das pesquisas foram questionados sobre seus humores a partir de uma lista que continha apenas opções negativas. Se uma pesquisa estuda apenas humores negativos, ela não reflete precisamente a experiência da TPM (1).

Sem evidência científica clara, por que a ideia de humores pré-menstruais negativos é tão difundida? Isso nos leva de volta às percepções culturais sobre a menstruação. Pessoas que são socializadas para esperar experiência pré-menstruais negativas tendem a relatar maiores desconfortos, contribuindo para atitudes negativas em relação ao ciclo (1).

A TPM não é uma experiência de abrangência única, pelo contrário, cada experiência individual é filtrada por crenças sociais e culturais que influenciam como elas processam os sintomas.

Conclusão #2: Os mau humores não andam necessariamente sempre de mão dadas com a experiência pré-menstrual.

Mito #3: Os mau humores da fase pré-menstrual são culpa apenas de flutuações hormonais.

Os hormônios têm um grande papel num ciclo menstrual (7), mas eles não são a única razão para mau humores pré-menstruais. De maneira geral, atividades físicas e mentais têm um impacto maior no humor do que fases do ciclo menstrual.

Participantes de um estudo recente (7) monitoraram seus sintomas de humor e saúde durante seis meses para testar o fato disseminado de que a fase pré-menstrual é fonte de depressão, humores irritáveis e alterações no estado de espírito (8-11). O estudo registrou tanto humores positivos quanto negativos ao coletar informação de cada fase do ciclo (não apenas a fase pré-menstrual); vários ciclos menstruais seguidos foram acompanhados.

A conclusão foi surpreendente: a informação levantada não apoiou a ideia de um humor negativo prevalecendo na fase pré-menstrual. Apoio social, saúde física e o estresse registrado foram mais significativos para prever humores diários, mais do que uma fase do ciclo menstrual (12).

No entanto, pode ser um fato que os hormônios poderiam ser a causa de tensão pré-menstrual para algumas pessoas. Baixos níveis de estradiol durante a fase pré-menstrual pode ter causado humores melancólicos e a diminuição dos níveis de serotonina (13).

Conclusão #3: A saúde física e mental têm um impacto maior no seu humor diário mais do que o ciclo menstrual.

O que é o transtorno disfórico pré-menstrual (TDPM)?

O transtorno disfórico pré-menstrual, ou TDPM, é um termo recente no léxico médico. O TDPM, assim como a TPM, é um diagnóstico dado quando a vivência dos sintomas pré-menstruais é bastante severa; este diagnóstico é considerado psiquiátrico, muito mais do que ginecológico. O diagnóstico de TDPM requer o registro de ao menos cinco sintomas durante a fase lútea (5 a 7 dias antes da menstruação), que melhoram depois de quatro dias da menstruação (14).

Preste atenção: a existência do TDPM é controversa. Alguns cientistas afirmam que classificar TPMs severas como uma desordem psiquiátrica pode abrir um perigoso precedente, e que o TDPM foi criado para justificar um novo nicho da indústria farmacêutica, consequência do excesso de medicalização da biologia reprodutiva das mulheres (15). Não obstante se chamamos ou não essa TPM severa por um novo nome, estudos científicos estimam uma prevalência de 2—8% de casos (14).

O que a TPM significa para você?

A TPM real é um diagnóstico médico dado por provedores de saúde após considerar o número, o tipo e a severidade dos sintomas pré-menstruais de alguém. Para começar uma conversa sobre TPM com profissionais de saúde, você pode registrar e monitorar no Clue as características dos padrões de sintomas da sua TPM. Monitorar rigorosamente seus sintomas em nosso app pode te ajudar a ter um panorama de como você sente física e emocionalmente todos os dias, ajudando você a observar padrões nos seus sintomas pré-menstruais.

Monitorar sintomas é uma ferramenta poderosa mesmo que você não precise falar de TPM com seu(ua) médico(a). Familiarizar-se com os padrões de seus sintomas pré-menstruais pode ser útil para se informar em que momento você está no ciclo, para ajudar você planejar seus dias e para aliviar sintomas desconfortáveis, ao identificar aspectos que exacerbam sintomas e/ou escolher estratégias de alívio.

Ao monitorar seus sintomas, lembre-se de:

  • Registre informações e sintomas diariamente, ao notá-los. (Isso é melhor do que ter que relembrar como você sentiu dias atrás, o que pode ser menos preciso.)

  • Registre por vários (não apenas um) ciclos menstruais completos. Isso te ajudará a capturar as variações ciclo a ciclo.Registre informações em cada fase do ciclo, não apenas na fase pré-menstrual. Se você monitora apenas em uma fase, não será possível compará-la e, assim, concluir como uma fase é diferente da outra.

  • Registre tanto sintomas positivo quanto negativos.

  • Dê contextos sobre você. Inclua notas sobre estresse, problemas de pele, dieta, relacionamentos e outros fatores importantes já que seu ciclo é apenas uma entre tantas coisas que pode afetar você e seu bem-estar (12).

an image of 3 mobile screens of the Clue app

Baixe o Clue app e contribua com nossa missão assinando o Clue Plus

  • Baixe o Clue app na App Store
  • Baixe o Clue app na Play Store

4.8

Ilustração de uma avaliação cinco estrelas

mais de 2M+ avaliações

Como saber se você tem TPM

Depois de registrar informações sobre diversos ciclos, é hora da avaliação. Aqui vão algumas etapas básicas:

  • Visualize seu ciclo pré-menstrual: conte 14 dias antes do início de cada menstruação. Esse período da ovulação até o começo da menstruação é aproximadamente sua fase lútea. O Clue irá identificar essa fase para você.

  • Busque por padrões: alguns dos sintomas surgem regularmente na fase pré-menstrual? Ou eles se distribuem ao longo de todo seu ciclo? Você pode se surpreender ao notar que constipação ou flutuações de humor, sintomas que você achava só aconteciam na fase pré-menstrual, na real acontecem em outras fases ao longo do ciclo.

  • Avalie a gravidade: alguns dos seus sintomas são fortes o suficiente para impactar sua vida de alguma maneira? Faltar no trabalho ou em aulas pode indicar casos moderados/severos de TPM.

Registrar seus sintomas pré-menstruais com o Clue pode te ajudar a ter um panorama da sua saúde menstrual. Ter em mãos essa poderosa informação sobre você, em um só lugar, pode te ajudar a tomar decisões de saúde. Se você se preocupa sobre como a TPM pode estar te impactando, e o que você pode fazer sobre isso, fale com médicos(as) e provedores de saúde.

Ilustração de um microscópio

Gostou dessa leitura? Ajude-nos a criar ainda mais conteúdo: contribua com nossa pesquisa científica.

Você também pode gostar de ler:

Artigos mais populares