Fotografia por Franz Grünewald e Zoe McArthur. Direção de arte por Marta Pucci

Tempo de leitura: 4 min

"Roe contra Wade", um ano depois: o que a comunidade do Clue precisa saber

by Audrey Tsang, e Carrie Walter
  • Compartilhar este artigo no Twitter
  • Compartilhar este artigo no Facebook
  • Compartilhar este artigo pelo WhatsApp

Faz um ano que cidadãs e cidadãos dos Estados Unidos perderam o direito constitucional de terminar uma gravidez. Desde a decisão da Suprema Corte americana em 2022 sobre o caso Dobbs vs. Jackson Women's Health Organization, é chocante como os direitos reprodutivos retrocederam em algumas partes do país.

Agora há relatos de médicos hesitando em prover cuidados, com medo de dar conselhos diretos a pacientes que enfrentam complicações na gravidez. Uma criança vítima de estupro aos 10 anos teve que sair de seu estado para não ser obrigada a passar pela gravidez e pelo parto. As mulheres se preocupam que seus dados privados de saúde possam ser usados em intimações judiciais contra elas ao buscarem assistência médica reprodutiva. Algumas estão optando em ignorar o que se passa em seus corpos, na esperança de que, assim, estão mais protegidas. Mas a ignorância é algo que nunca nos protegeu.

Um ano atrás, prometemos fazer nossa parte: defender os direitos reprodutivos por meio da proteção dos dados de saúde de nossas usuárias e usuários. Assim, cada experiência com o Clue é positiva e segura, como deve ser. Reiteramos que:

Não importa onde você esteja no mundo, nunca permitiremos que seus dados privados de saúde sejam usados contra você.

Hoje, é importante você saber que até agora nenhuma autoridade dos Estados Unidos ou de nenhum outro país nos solicitou dados de saúde de alguém. Nunca divulgamos dados de saúde a nenhuma autoridade, e nunca o faremos.

O que prometemos a vocês

Acreditamos que as leis de privacidade da Alemanha e da União Europeia são uma proteção eficaz contra qualquer tentativa de governos em obter dados de usuários do Clue, para qualquer ação legal contra um suposto aborto. O Clue é uma empresa alemã com sede e escritório em Berlim. Nós desenvolvemos só um aplicativo, o Clue, sem estruturas corporativas complexas e sem outros negócios em diferentes jurisdições. Não há brechas legais. Nosso modelo de negócios é simplesmente oferecer recursos pagos (premium) para nossa comunidade. Dito isto, a confiança de quem usa o Clue é nosso ativo mais vital.

Estas são as razões legais e comerciais pelas quais nunca permitiríamos que os dados de saúde de usuárias e usuários do Clue sejam utilizados em perseguições reprodutivas. Tenha em mente que, no Clue, as mulheres são as responsáveis pelas decisões. Somos uma companhia liderada por mulheres—surpreendentemente uma das poucas entre os principais aplicativos menstruais. O Clue foi fundado para vocês se empoderarem e entenderem melhor os seus corpos, para assim se defenderem e tomarem decisões mais informadas.

Somos co-CEOs do Clue e também usuárias de nosso aplicativo. Como mulheres, contribuir para perseguições reprodutivos é algo inimaginável. O Clue armazena dados sobre os nossos ciclos e sobre as nossas gravidezes—independentemente dessas terem ou não chegado ao fim. É importante ter esses registros, pois uma boa orientação médica depende de um bom histórico pessoal de saúde. E, se você for mulher, a perspectiva de um atendimento cada vez mais personalizado só poderá ser cumprida com a ajuda desses dados.

Ao usar qualquer aplicativo de saúde ou tecnologia personalizada de dados, você ultimamente terá que decidir se confia ou não nas pessoas que construíram tais serviços. Mas se você tiver preocupações, é importante tentar entender quem são os tomadores de decisão, não apenas seus porta-vozes. Por que eles fazem o que fazem?

Então destacamos este triste aniversário com o nosso compromisso renovado e a nossa solidariedade com mulheres, meninas e qualquer pessoa que possa engravidar. Nós merecemos autonomia reprodutiva e a melhor atenção possível em saúde, livre de julgamentos, vergonha e interferências políticas.

De Berlim, com solidariedade

Este é o mote de nossa campanha lançada recentemente: "De Berlim, com solidariedade". Não há nada engraçado sobre a perseguição reprodutiva, mas às vezes um argumento sério é melhor explicado com certo humor. A campanha é particularmente especial para nós porque foi concebida por um grupo de usuárias do Clue dos Estados Unidos, que entraram em contato conosco propondo a ideia.

Elas acompanharam com atenção nossa reação ao caso Dobbs e tiveram a ideia de contar a mais mulheres que há lugares no mundo onde a privacidade dos dados de saúde é protegida. E que há plataformas como o Clue, lideradas por mulheres e que estão realmente dispostas a defender sua comunidade. Elas tornaram um tópico que causa tanta raiva e dor a muita gente e o transformaram em algo inteligente e provocador, leve e persuasivo.

O caso Dobbs vs. Jackson Women's Health Organization foi um alerta para muitos, nos Estados Unidos e em outros países. Precisamos proteger nosso direito ao conhecimento, à saúde e à liberdade com todas as ferramentas que tivermos.

ilustração da flor do Clue app
ilustração da flor do Clue app

Viva em sintonia com seu ciclo, baixe o Clue hoje.

Esse artigo foi útil?

Você também pode gostar de ler:

Artigos mais populares

ilustração da flor do Clue app
ilustração da flor do Clue app

Viva em sintonia com seu ciclo, baixe o Clue hoje.