Ilustração abstrata de uma cabeça com um coração no topo, no lugar da mente

Ilustração: Marta Pucci

Gravidez, Parto e Pós-parto

O que são transtornos de humor pós-parto?

Como a gravidez e o parto podem afetar sua saúde mental.

*Tradução: Mariana Rezende

Você provavelmente já ouviu falar da depressão pós-parto: ela afeta cerca de 1 em cada 5 pessoas que dão à luz e é uma das principais causas de mortalidade materna (1-4). Não existem muitas pesquisas sobre depressão pós-parto, mas cientistas estão começando a entender mais sobre a doença e suas causas. Além da depressão pós-parto, pessoas que dão à luz podem apresentar diversos transtornos de humor. 

O aumento da conscientização sobre os transtornos de ansiedade e humor pós-parto pode encorajar parturientes a buscar ajuda e reduzir a sensação de isolamento.

Em quais circunstâncias as pessoas desenvolvem transtornos de humor pós-parto?

Embora seja possível desenvolver um transtorno de humor imediatamente após o parto, os sintomas podem surgir a qualquer momento nos primeiros 12 meses após o nascimento (5). Para algumas pessoas, os transtornos de humor aparecem pela primeira vez durante a gravidez e, em seguida, pioram no pós-parto (6). Também é possível que pais não biológicos experimentem transtornos de humor pós-parto (6), mas neste artigo vamos explorar transtornos de humor e ansiedade pós-parto que se aplicam a pessoas que dão à luz.

Se você perguntar a uma pessoa que experimentou depressão pós-parto como ela se sentiu, é provável que ela responda que sua experiência foi mais do que depressão. Condições como ansiedade, transtorno obsessivo-compulsivo (TOC), transtorno de estresse pós-traumático (TEPT) e psicose podem ser tão debilitantes quanto a depressão pós-parto ou constituir uma emergência de saúde mental. A maioria das pessoas com diagnóstico de depressão pós-parto também apresenta outro tipo de transtorno de humor, embora seja possível ter outro tipo de transtorno de humor pós-parto e não apresentar depressão (7).

Imagem de três telas mostrando o aplicativo Clue

Baixe o Clue e acesse o modo Gravidez via Clue Plus

  • Baixe o Clue app na App Store
  • Baixe o Clue app na Play Store

4.8

Ilustração de uma avaliação cinco estrelas

2M+ avaliações

Amigos, familiares e profissionais de saúde muitas vezes ignoram ou minimizam o sofrimento de uma pessoa com transtorno de humor pós-parto (5, 8). Os sintomas dessas condições, como fadiga e alterações do apetite, também estão associados aos cuidados com os recém-nascidos e podem acabar sendo ignorados (5). 

Pessoas com transtornos de humor pós-parto frequentemente enfrentam barreiras para serem diagnosticadas e receber tratamento (8). 

Mesmo quando os sintomas são óbvios, profissionais de saúde estão mal preparados para diagnosticar e tratar os transtornos de humor pós-parto (5, 8). Não há códigos de diagnóstico oficiais para transtornos de humor pós-parto (DSM) e não existem ferramentas de triagem específicas para transtornos de humor pós-parto além da depressão (8). Quando um transtorno de humor pós-parto é diagnosticado, pode ser difícil e caro encontrar tratamento, e não existe um tratamento único que garanta a cura (8). Embora a gravidez e o parto possam oferecer risco de vida, como tem sido bem documentado para pessoas não brancas nos Estados Unidos, por exemplo, pessoas que estão mais sujeitas à quadros adversos para a saúde materna devido ao racismo sistêmico, as mesmas disparidades raciais e étnicas na saúde tornam os recursos ainda menos disponíveis para mulheres negras e latinas que sofrem de transtornos de humor pós-parto (9).

O que causa a depressão pós-parto e outros transtornos de humor pós-parto?

Nenhuma causa específica de transtornos de humor pós-parto foi determinada ainda, mas existem algumas teorias. Os hormônios reprodutivos estrogênio e progesterona oscilam intensamente durante a transição da gravidez para o pós-parto (6). Cientistas acreditam que esses hormônios podem desempenhar um papel nos transtornos de humor pós-parto (6).

Outra teoria envolve neurotransmissores, que são substâncias químicas do seu corpo responsáveis por enviar mensagens para as células nervosas. (Você deve ter ouvido falar da serotonina ou da dopamina, dois neurotransmissores do “bem-estar”.) Hormônios e neurotransmissores trabalham em conjunto no corpo, contribuindo potencialmente para mudanças de humor durante eventos reprodutivos, como o parto (4).

Algumas outras causas potenciais sob investigação incluem predisposição genética, níveis de melatonina, alterações da função tireoidiana e respostas do sistema imunitário (4). Não sabemos ao certo por que uma pessoa sofre de um tipo de transtorno de humor e não de outro.

Tipos de transtornos de humor pós-parto

É mais do que somente depressão. Vamos analisar alguns dos transtornos de humor pós-parto que são atualmente reconhecidos.

O que é o "baby blues"?

O baby blues, uma espécie de melancolia pós-parto, é uma reação comum às mudanças corporais que ocorrem após o parto (6). Os hormônios estrogênio e progesterona sobem durante a gravidez, mas caem drasticamente após o nascimento (6). O resultado dessa queda pode ser tristeza, insônia, irritabilidade, ansiedade e choro (6). O baby blues é comum logo após o nascimento, pode atingir o pico por volta do quinto dia pós-parto (6) e pode durar até três semanas (6). Pesquisas sugerem que até 75% das pessoas vivenciam o baby blues no pós-parto (6).

O que é a depressão pós-parto?

A depressão periparto, ou depressão que ocorre durante a gravidez ou pós-parto, é considerada o transtorno de humor mais comum em pessoas grávidas e no pós-parto (5). As estimativas de depressão pós-parto são difíceis de determinar. Pesquisas indicam que a depressão pós-parto afeta 10 a 15% das pessoas no pós-parto (10), mas o número é provavelmente muito maior. Os estudos sobre depressão pós-parto geralmente incluem somente as primeiras semanas pós-parto, quando a depressão pós-parto pode acontecer a qualquer momento no primeiro ano após o parto (10).

Pessoas que sofrem de depressão pós-parto podem ter problemas para dormir ou dormir em excesso, humor depressivo, perda de interesse em atividades, perda de peso, inquietação ou lentidão nos movimentos lentos, fadiga e/ou sentimentos de auto-desvalorização ou culpa (6). Alguns estudos indicam que a falta de controle é o sentimento predominante durante a depressão pós-parto (6). Pessoas com depressão pós-parto muitas vezes se sentem como se estivessem lutando para sobreviver, envoltas em uma névoa que torna difícil a concentração em tarefas simples e também no cuidado da criança recém-nascida (6).

O que é a ansiedade pós-parto?

A ansiedade pós-parto é um termo genérico para um grupo de transtornos de ansiedade que inclui ansiedade generalizada, pânico e transtornos de ansiedade social (10). É difícil determinar quantas pessoas sofrem de ansiedade pós-parto, mas é provável que a depressão e os transtornos de ansiedade tenham um impacto semelhante sobre as pessoas no pós-parto (10). A maioria das pessoas que experimenta depressão pós-parto também experimentará níveis clínicos de ansiedade (10).

É normal se preocupar com seu feto ou recém-nascido, mas o transtorno de ansiedade generalizada (TAG) pós-parto acontece quando a preocupação se torna excessiva e incontrolável e interfere na vida diária ou no cuidado de uma criança recém-nascida (8). As preocupações podem abranger um amplo espectro, mas é comum que as pessoas com ansiedade no pós-parto se preocupem com a saúde do recém-nascido, sua própria saúde, a saúde da pessoa parceira e/ou morrer e deixar a criança recém-nascida órfã (8).

Uma pessoa que tem ataques de pânico repentinos e inesperados após o nascimento de uma criança pode ter transtorno de pânico pós-parto (11). Essa forma de ansiedade pós-parto pode ser diagnosticada quando as crises continuam por mais de um mês e a pessoa está persistentemente preocupada em ter outra crise (11). O transtorno de pânico pós-parto pode fazer com que uma pessoa sinta que está perdendo o controle, enlouquecendo ou até mesmo tendo um ataque cardíaco (11).

Atualmente não há muitas pesquisas específicas sobre ansiedade social pós-parto, mas um estudo descobriu que pessoas que não estavam amamentando seus bebês eram mais propensas a ter fobias sociais pós-parto (12). A ansiedade social está associada ao medo extremo de julgamento e invalidação de pessoas desconhecidas (12). Pessoas com ansiedade social pós-parto têm maior probabilidade de relatar problemas de relacionamento durante o período pós-parto (12).

O que é TOC pós-parto?

As obsessões pós-parto podem variar, mas muitas pessoas com TOC pós-parto dizem que ele se concentra em pensamentos sobre como machucar a criança (13). Outras obsessões comuns são limpar ou conferir coisas (13). É importante observar que as pessoas com essas obsessões provavelmente não machucarão seus bebês e é provável que as obsessões sejam indesejadas e não condizentes com os verdadeiros pensamentos ou caráter da pessoa (13).

Obsessões não são apenas grandes preocupações com certas coisas. Psicologicamente, uma obsessão é um pensamento recorrente e persistente que causa ansiedade ou estresse (13). O pensamento pode se manifestar como uma imagem que a pessoa com TOC não consegue tirar da cabeça (13). Os pensamentos e imagens muitas vezes são ofensivos ou inadequados e indesejados (13). Uma pessoa com TOC pode ter um impulso de fazer algo que a possa aliviar do pensamento ou da imagem, e essa é a parte da compulsão do TOC (12). Alguns dados sugerem que cerca de 9% das pessoas apresentam TOC pós-parto após o nascimento e, dessas, quase 40% também apresentam depressão (13).

O que é transtorno de estresse pós-traumático pós-parto?

Embora o transtorno de estresse pós-traumático, ou TEPT, tenha sido identificado pela primeira vez em soldados enviados para guerras, também é uma experiência comum após a gravidez e o nascimento (14). O início do TEPT pode acontecer quando uma pessoa vivencia um evento durante o qual sente que sua vida ou segurança estão ameaçadas (14). Uma pessoa com TEPT pode sentir que está revivendo o evento e evitar pessoas ou lugares que a lembrem do evento (14).

Pessoas que vivenciam uma gravidez ou parto traumático estão em risco de TEPT pós-parto (14). Uma pessoa com TEPT pós-parto pode decidir não ter mais filhos, adiar ter mais filhos ou escolher uma cesariana no próximo parto por causa de sua experiência traumática (14). É comum que uma pessoa com TEPT pós-parto também experimente depressão pós-parto (14).

O que é o transtorno bipolar II pós-parto?

O transtorno bipolar II é frequentemente chamado de “o impostor da depressão pós-parto” porque as pessoas com este transtorno não diagnosticado podem sentir o pico dos seus sintomas na fase pós-parto e só então procurar tratamento (6). Às vezes, as pessoas com transtorno bipolar II podem buscar tratamentos diferentes para a depressão pós-parto, todos sem sucesso (6).

Os sintomas da doença bipolar II geralmente se parecem muito com a depressão pós-parto. Pessoas com essa condição podem experimentar explosões de energia durante vários dias imediatamente depois do parto, mas entram em depressão severa após algumas semanas (6). Pessoas com transtorno bipolar II pós-parto descrevem-no como uma depressão intensa com ocasionais explosões repentinas e intensas de energia emocional que parecem ter sido acionadas por um interruptor (6).

O que é a psicose pós-parto?

A psicose pós-parto é considerada o transtorno de humor pós-parto mais grave, pois tanto o suicídio quanto o infanticídio são riscos oferecidos pela doença (6). A maioria das pessoas que a experimentam começará a apresentar sintomas desde alguns dias a três semanas após o parto (6). Amigos ou familiares podem notar que é difícil se comunicar com a pessoa com psicose (6). A pessoa pode estar fora de contato com a realidade, tendo alterações bruscas de humor ou alucinações (6). Podem-se notar mudanças perceptíveis no apetite ou no sono (6). Se você acha que você ou alguém que você conhece está sofrendo de psicose pós-parto, ligue para um provedor de saúde ou para os serviços de emergência imediatamente, porque esta é considerada uma emergência médica.

Quem está em risco de depressão pós-parto e outros transtornos do humor?

Os fatores de risco para transtornos de humor na gravidez e no pós-parto variam dependendo da condição. No geral, um histórico de doença mental anterior pode ser o indicador mais forte de risco para um transtorno de humor pós-parto (5).

Depressão durante a gravidez:

  • Ansiedade

  • Estresse

  • Histórico de depressão

  • Pouco apoio social

  • Gravidez não planejada

  • Violência doméstica

  • Baixa renda

  • Baixa escolaridade

  • Tabagismo

  • Ausência de cônjuge

  • Problemas de relacionamento

Depressão pós-parto:

  • Depressão durante a gravidez

  • Ansiedade durante a gravidez

  • Situações de vida estressantes

  • Parto traumático

  • Parto prematuro

  • Passagem da criança por unidades de cuidados intensivos neonatais (UCIN)

  • Pouco apoio social

  • Histórico prévio de depressão

  • Dificuldades na amamentação

TOC pós-parto:

  • Histórico de problemas psiquiátricos

  • Complicações na gravidez/parto

  • Ter mais de um filho

Transtorno de estresse pós-traumático pós-parto:

  • Gravidez de alto risco

  • Ansiedade durante a gravidez

  • Depressão durante a gravidez

  • Ansiedade durante o parto

  • Experiências traumáticas de partos

  • Situações de vida estressantes

  • Medo do parto

  • Mais dor do que o esperado durante o parto

Ansiedade pós-parto:

  • Muito jovem

  • Baixa renda

  • Histórico prévio de saúde mental

  • Pouco apoio social

Como buscar ajuda para transtornos de humor pós-parto

O período após o nascimento de um recém-nascido é algumas vezes denominado “quarto trimestre” (16). As normas culturais relacionadas a esse período provavelmente influenciam as taxas de transtornos de humor pós-parto (6). A falta de licença remunerada, o isolamento social e a falta de rotinas pós-parto podem contribuir para o desenvolvimento dessas condições (6). Algumas pesquisas mostram que a educação para novos pais sobre as mudanças esperadas no pós-parto e os comportamentos do recém-nascido pode reduzir o risco de transtornos de humor pós-parto (17), mas esses programas podem ser difíceis de acessar.

Se você está vivendo com um transtorno de humor pós-parto, saiba que não está só e não é culpa sua. Se você sentir vergonha ou constrangimento, saiba que isso é normal e que seus sintomas NÃO fazem de você incapaz de ser mãe/pai. Existem tratamentos bem pesquisados ​​para os sintomas dos transtornos de humor pós-parto, incluindo medicamentos e terapia (17). Ainda não há cura, mas os medicamentos podem melhorar a qualidade de vida. Converse com profissionais de saúde sobre quais medicamentos ou terapias podem ser adequados para você. Existem vários medicamentos que podem ser tomados com segurança durante a amamentação (18). Se você não pode sair de casa, experimente uma plataforma de teleconsultas que tem profissionais especializados que podem atender você online ou em domicílio.

Se você ou alguém que você ama está passando por um transtorno de humor pós-parto, busque ajuda e aconselhamento com um médico de família, obstetras, ginecologistas ou terapeutas psicológicos. Caso esteja pensando em fazer algo que prejudique ou machuque você ou a criança, ou sentir que a criança estará melhor sem você, procure ajuda médica imediatamente.

Baixe o Clue para monitorar sua gravidez e saúde mental.

An illustration of a hand pressing a button

Let's support one another.

and champion menstrual health together. Make an impact today in one click.

An illustration of a hand pressing a button

Você também pode gostar de ler:

Artigos mais populares