Foto de uma mulher segurando o ventre

Fotografia por Franz Grünewald, direção de arte por Marta Pucci

Gravidez, Parto e Pós-parto

Como se preparar para uma gravidez?

É comum supor que os cuidados com a gravidez são necessários apenas enquanto a gravidez está em andamento. No entanto, especialistas insistem na importância de realizar uma série de ações e cuidados, meses antes da gravidez, como preparação para uma gravidez saudável e bem-sucedida.

Na maioria dos casos, esses cuidados são simples e fáceis de executar e podem fazer diferença para evitar riscos e ameaças à saúde da mãe e do futuro bebê. A seguir, apresentaremos recomendações para a preparação de uma gravidez.

Acompanhe seus ciclos menstruais

Antes de iniciar uma gravidez, é interessante manter um registro dos ciclos menstruais.  Você pode registrar em seu Clue app todas as características do seu ciclo menstrual, do início ao fim de cada um, sendo possível conhecer a frequência e a duração dos ciclos, prever o período fértil e as características pertinentes das fases do seu ciclo menstrual.

O registro dos ciclos menstruais é  útil para saber quais são os dias mais férteis de uma pessoa. Mais tarde, durante a gravidez, essas informações ajudam o(a) obstetra, desde a primeira consulta, a saber exatamente como seus ciclos eram regulares e a data do último período. Como consequência, o tempo estimado de gravidez será calculado com mais precisão.

Consulte-se com ginecologistas e obstetras

Na consulta com um(uma) médico(a) ou profissional de saúde serão solicitados estudos laboratoriais para avaliar o estado atual da saúde, sinais vitais (pressão arterial, freqüência cardíaca, frequência respiratória, temperatura), peso e altura, e serão feitas várias perguntas para conhecer o histórico médico (antecedentes pessoal e familiares). A partir do exame, o(a) profissional pode detectar possíveis riscos e realizar recomendações específicas para quem quer planejar a gravidez.

Se você tem uma doença crônica

Se você tem condições crônicas como hipertensão, diabetes, lúpus, epilepsia, asma, distúrbios da tireóide, etc., é ainda mais importante planejar a gravidez com antecedência, com o objetivo minimizar os riscos (1, 2).

Devido às mudanças que o estado gestacional produz no corpo a maioria das doenças crônicas tendem à exacerbação ou descontrole durante a gravidez. O ideal é iniciar uma gravidez quando a doença estiver em perfeito controle (3).

É aconselhável ir ao especialista (de acordo com a doença que você tem) e iniciar a gravidez com pelo menos 6 meses de controle perfeito (4).

Avaliação para infecções sexualmente transmissíveis (ISTS)

As infecções  sexualmente transmissíveis, como gonorréia, clamídia, micoplasma e ureaplasma, são associadas à ameaça de parto prematuro, ruptura prematura de membranas (a membrana aminioticarompe quando o bebê ainda é prematuro), corioamnioite (infecção da bolsa amniótica onde está o bebê) e perda precoce da gravidez (5, 6).

Essas infecções podem ser assintomáticas e permanecer ocultas por anos. A realização de testes diagnósticos pode mudar o curso de uma gravidez. Além disso, algumas dessas infecções pode passar para o feto e causar malformações congênitas. A detecção e tratamento precoce, antes da gravidez, dimimuem riscos para gestantes (7).

HIV: O vírus da imunodeficiência humana é a causa da conhecida síndrome de imunodeficiência adquirida ou AIDS. É importante fazer o rastreamento do HIV, pois geralmente é assintomático no início. Se um resultado for positivo, é possível tomar medidas para que a infecção pelo HIV não progrida para a doença crônica, a AIDS. Ter HIV não significa que uma pessoa não deva engravidar, apenas que é necessário planejar cuidadosamente a gravidez para tomar as medidas necessárias e evitar o risco de transmitir ao bebê (8).

Se o teste para o HIV for positivo, você deve ir à unidade especializada em HIV, onde pode expor a intenção de engravidar e solicitar apoio no processo. Com o tratamento adequado, é possível reduzir os riscos durante a gravidez e transmissão para futuro bebê.

VDRL (Venereal Diseases Research Laboratory): Este teste é utilizado para detectar sífilis. Nos estágios iniciais, a infecção por sífilis pode ocorrer com lesões na pele, é chamada de cancro duro, que é um tipo de úlcera na área genital, classicamente indolor, mas muito contagiosa. Em alguns casos, pode não haver presença de ferimentos. Durante as fases posteriores da doença, esse cancro desaparece, mas pode haver outros tipos de alterações que ocorrem em diferentes períodos de tempo (aparecem por algumas semanas e desaparecem por meses), como "erupções cutâneas", principalmente nas palmas das mãos e solas dos pés. Também pode haver sintomas menos específicos, como mal-estar e dor nas articulações, febre baixa, dor de garganta e sintomas semelhantes aos da gripe. Quando os sintomas são muito inespecíficos, é mais difícil de se diagnosticar (9).

Essa condição  pode causar malformações, abortamento e outras complicações graves no bebê. Como pode passar despercebida por muitos anos, antes de progredir para estágios mais graves, é aconselhável fazer o teste VDRL para detectá-lo antes de procurar uma gravidez (10, 11).

O tratamento pode ser simples se detectado precocemente, antes dos estágios avançados da doença.

Investigação TORCH

O perfil TORCH é um estudo de laboratório (sangue) realizado para detectar infecções por microorganismos. É nomeado por seu acrônimo, que constitui o acrônimo TORCH (Toxoplasma, Otros-enterovirus, Listeria monocytogenes, Mycobacterium tuberculosis, parvovirus B-19, Treponema pallidum, Trypanozoma cruzi, virus de hepatitis B, virus varicela-zoster-, Rubéola, Citomegalovirus y Herpes). Os microrganismos a que se refere podem produzir riscos significativos para o bebê, causando malformações, alterações neurológicas, retardo mental e até morte (12,13).

Algumas dessas infecções são tratáveis, portanto, fazer uma triagem antes da gravidez seria ideal para evitar esses riscos para o futuro bebê. Mesmo para infecções detectadas e que não possuem tratamento específico, também é útil detectá-las antes da gravidez, pois dessa forma é possível perder o período de risco e quando é apropriado iniciar novamente a busca por uma gravidez (14,15).

Avaliação funcional da tireóide

A glândula tireóide está no pescoço, geralmente não é possível senti-la e, embora seja pequena, seu funcionamento é essencial para todo o organismo. Esta glândula produz hormônios que regulam várias funções do metabolismo do nosso corpo. Se houver alterações na produção desses hormônios pode haver dificuldade em engravidar. O risco de aborto espontâneo também pode ser aumentado, entre outras consequências (16,17)

Imagem de três telas mostrando o aplicativo Clue

Baixe o Clue: te ajuda a saber os dias em que você está mais fértil

  • Baixe o Clue app na App Store
  • Baixe o Clue app na Play Store

4.8

Ilustração de uma avaliação cinco estrelas

mais de 2M+ avaliações

Alimentação saudável e balanceada

De acordo com a Oragnização Mundial de Saúde (OMS), a qualidade da alimentação pode influenciar na evolução e resultado da gravidez (18).

Quando a nutrição é de má qualidade, aumentam os riscos de problemas digestivos, hipertensão, diabetes, parto prematuro e restrição ao crescimento do bebê (19). Os estados de desnutrição têm sido associados a risco aumentado de infecção e diminuem sua capacidade reprodutiva. Além disso, durante a gravidez, aumentam o risco de malformações no bebê, baixo peso ao nascer e atraso no crescimento durante a infância, entre outros (20).

Os estados de sobrepeso e obesidade estão relacionados a  diabetes na gravidez l, hipertensão e alterações durante o parto, na mãe. No bebê, aumenta o risco de macrossomia (isto é, nascer com um peso muito maior do que deveria), alterações na glicemia ao nascer, malformações congênitas, parto prematuro, morte (que o bebê morre antes nascidos, dentro do útero da mãe), morte perinatal (aumento do risco de morrer logo após o nascimento), obesidade infantil e síndrome metabólica na idade adulta (21).

Logo, é importante, manter-se saudável com  peso e dieta adequados e pode ser necessário procurar um nutricionista ou profissional de saúde para obter orientação sobre isso.

Exercícios

A prática de atividade física antes e durante a gravidez tem benefícos como controle do peso e estabilidade do humor. O exercício também ajuda a perder peso após o nascimento do bebê e está relacionado a menos dor, mais energia e melhor tônus muscular (22).

É possível dividir os 150 minutos em sessões de 30 minutos, durante 5 dias da semana, ou períodos mais curtos de 10 minutos, como caminhar por 10 minutos, 3 vezes ao dia (23).

Os exercícios mais recomendados durante a gravidez são:

  • os passeios,

  • exercícios de natação e água,

  • a bicicleta estacionária,

  • ioga modificada para pessoas grávidas

  • e pilates para pessoas grávidas.

Os exercícios que não são recomendados durante a gravidez são:

  • esportes que envolvem contato físico (devido ao risco de serem expostos a um golpe no abdômen),

  • pule na queda livre,

  • atividades que expõem uma queda,

  • ioga quente ou pilates quente (24).

Para uma pessoa que acabou de iniciar a gravidez e que estava acostumada a praticar atividades físicas muito intensas, é aconselhável conversar com seu obstetra para revisar o tipo de exercício que realiza.

Ingestão de ferro e ácido fólico

Segundo a OMS, a deficiência de ferro, ácido fólico e vitamina A é a principal causa de anemia (25). A anemia durante a gravidez tem sido associada a um risco aumentado de perda gestacional, infecções, parto prematuro, sangramento durante a gravidez ou após o parto ou cesariana e baixo peso ao nascer, além de maus resultados durante e após a gravidez, para a mãe e o bebê (26). Por isso, para evitar anemia é recomendado aporte adequado desses nutrientes antes da gravidez. 

Ferro: é comum em pessoas com ciclos menstruais ter deficiência de ferro, pois perde-se ferro ao sangrar todas as vezes. Se quantidades adequadas de ferro não forem ingeridas na dieta ou por suplementos, a perda (por sangramento) e o suprimento insuficiente desse elemento podem levar à anemia (27).

As necessidades de ferro aumentam exponencialmente, à medida que a gravidez continua progredindo, pois esse elemento é essencial para todas as mudanças que ocorrem nesse período, incluindo a formação e o desenvolvimento do bebê (28).

Um (uma) profissional de saúde para avaliar o estado das reservas de ferro antes de iniciar a gravidez e prescrever suplementos de ferro ou aumento da ingestão de alimentos ricos nesse elemento (29, 30)

Os alimentos com maior teor de ferro são carnes, aves e peixes. Esse tipo de ferro é o que melhor absorve. Também podemos encontrar ferro em cereais, legumes, frutas e legumes, no entanto, o ferro nesses alimentos é diferente e absorvido com maior dificuldade (31).

Ácido fólico: A deficiência de ácido fólico durante a gravidez pode não apenas levar à anemia, mas também tem sido associada a malformações fetais, principalmente com os chamados defeitos do tubo neural (32).

O risco dessas malformações ocorre principalmente no primeiro trimestre da gravidez, pois é o período em que a maioria dos órgãos do bebê é formada (33). Para evitar o exposto, vários estudos recomendam iniciar a ingestão diária com suplementos contendo 0,4 a 0,8 mg de ácido fólico, quando se está  planejando engravidar (34).

Podemos encontrar alimentos ricos em folatos, como leguminosas, vegetais de folhas verdes, frutas cítricas, sucos, pão e cereais que contêm farinha enriquecida com ácido fólico. No entanto, a ingestão dessas fontes geralmente é muito baixa, por isso é importante tomar suplementos orais durante a gravidez (35).

Saúde dental

É ideal ter uma boa saúde dental antes de iniciar uma gravidez. Infecções dentárias, como cáries, são comuns na população em geral e essas infecções durante a gravidez podem produzir vários riscos, inclusive  a perda da gravidez. Portanto, é bom ir ao dentista para uma revisão antes de iniciar uma gravidez (36).

Evite álcool, tabaco, drogas e exposição a substâncias tóxicas

Tabagismo e uso de álcool têm sido associados à diminuição da fertilidade de mulheres e homens (37). O tabagismo durante a gravidez está relacionado à perda da gravidez, complicações como desencadear o parto prematuro e até risco de morte (morte súbita do bebê no útero) e morte neonatal (que o bebê morre logo após o nascimento) (38).

Drogas e exposição a substâncias tóxicas (como alguns produtos químicos, pesticidas, metais pesados, como chumbo e mercúrio, solventes orgânicos, etc.) são muito prejudiciais ao embrião em formação e o colocam em risco de malformações durante os primeiros meses de vida intrauterino e subsequentemente a outras complicações (39). Também é aconselhável evitar medicamentos ou produtos à base de plantas não indicados por um médico (40).

Evite a exposição a fontes de calor

Alguns estudos revelaram uma ligação entre a exposição ao calor de fontes como banheiras de hidromassagem ou saunas, com febre durante a gravidez e um risco aumentado de malformações no bebê (principalmente defeitos do tubo neural) durante o primeiro trimestre (41).

Portanto, é benéfico saber que, no início de uma gravidez, é aconselhável evitar situações que se exponham a altas temperaturas (42).

Saúde Mental

Uma gravidez deve começar nas melhores condições de saúde mental para obter melhores resultados (43). Se você estiver sob muito estresse ou com problemas psicológicos ou psiquiátricos, é importante procurar atendimento médico e psicológico antes de iniciar a gravidez, pois eles tendem a ser exacerbados durante a gravidez (44, 45).

Se uma pessoa estiver em tratamento psiquiátrico, é aconselhável consultar o psiquiatra e dizer que deseja iniciar a busca por uma gravidez, pois existem medicamentos psicotrópicos que não são seguros durante o período gestacional. (46) 

O ideal é que se você está em tratamento e engravide, esteja usando o mínimo de medicamento possível e de preferência não traga muitos efeitos para um feto.

Vacinas

Se uma gravidez está sendo planejada, é uma prioridade estar em dia com o calendário de vacinação, especialmente para condições que possam colocar uma gravidez em risco, como rubéola e catapora. Se você nunca teve essas doenças, a vacinação contra elas antes de iniciar a gravidez é uma boa opção. (47, 48)

É importante levar em consideração todas essas recomendações gerais para obter uma gravidez saudável. Se você se cuida, cuida do seu bebê.

An illustration of a hand pressing a button

Let's support one another.

and champion menstrual health together. Make an impact today in one click.

An illustration of a hand pressing a button

Você também pode gostar de ler:

Artigos mais populares